Contigo!
Facebook Contigo!Twitter Contigo!Instagram Contigo!
Famosos / DESABAFO

Isabel Fillardis revela luta para criar o filho com síndrome rara: "Conto nos dedos quem ficou ao meu lado"

Ela disse que se doou tanto que acabou desenvolvendo doença autoimune que a colocou em "um momento de penumbra"

Redação Contigo! Publicado em 25/01/2021, às 19h42

Isabel Fillardis revela luta para criar o filho e doença rara que foi vítima
Isabel Fillardis revela luta para criar o filho e doença rara que foi vítima - Reprodução/Instagram

Discretíssima sobre sua vida pessoal, a atriz Isabel Fillardis foi capa do suplemento Ela, do jornal O Globo. 

Na entrevista publicada neste domingo (24) ela falou da luta para criar o filho do meio, Jamal, hoje com 17 anos.

Com uma síndrome rara, o pequeno exibiu uma dedicação tão grande que a atriz acabou desenvolvendo uma doença autoimune. O relato comoveu os fãs da estrela que se destaca na TV há mais de duas décadas.

“Jamal nasceu em 2003 com Síndrome de West. Nos primeiros anos, precisei me dedicar completamente ao meu filho e isso fez com que me distanciasse do trabalho. Quantas vezes tive que voltar correndo para casa devido às suas crises convulsivas. Em 2007, quando finalmente consegui deixá-lo equilibrado, o meu corpo falou. Falou não, berrou. Desenvolvi uma doença autoimune na pele do rosto chamada Líquen Plano. Um grande melasma preto tomou conta de toda a minha face e, por causa disso, também tive alopecia. A maquiagem não aderia, o que me impossibilitava de atuar e me fez perder um contrato com uma gigante da indústria da beleza. Estava proibida de tomar sol e de ter contato com luminosidade de qualquer tipo. Atravessei um longo período na penumbra. Na época, ninguém perguntou o que estava acontecendo, as pessoas se afastaram. Conto nos dedos das mãos quem ficou ao meu lado. Em 2010, descobriram a causa e eu comecei a me tratar com aplicações de laser. Percebi que havia algo errado comigo: eu tinha aberto mão de um monte de coisas e me deixado para trás. Minha autoestima estava no pé. Comecei a fazer terapia.”

No ano passado, a atriz já havia publicado uma reflexão sobre a relação com o filho.

"Vivi na pele, com o meu filho, todas as dificuldades. A primeira dificuldade (que se pode ter) é de um diagnóstico precoce, rápido. Consegui ter um bom diagnóstico com meu filho mas nem todas as crianças têm. Informação era algo também difícil, o acesso a hospitais... Se a criança precisasse de uma prótese, de um aparelho auditivo, era tudo muito complicado. Ainda é. Tudo é muito caro para eles. Tudo é importado. São poucas as fabricações nacionais", disse ela em uma conversa com Babu Santana.