Contigo!
Facebook Contigo!Twitter Contigo!Instagram Contigo!Spotify Contigo!
Famosos / LUTO

Elza Soares cita seu filme em última postagem com vida: "Meu nome é agora"

Antes de morrer, Elza Soares fez postagem citando seu filme e título eterniza o legado da cantora, que foi ícone da música brasileira

Redação Contigo! Publicado em 20/01/2022, às 19h01

Elza Soares cita seu filme em última postagem com vida: "Meu nome é agora" - Reprodução/Twitter
Elza Soares cita seu filme em última postagem com vida: "Meu nome é agora" - Reprodução/Twitter

A cantora Elza Soares faleceu nesta quinta-feira (20) de causas naturais e deixou o Brasil em lágrimas.

Sempre ativa nas redes sociais, a cantora até declarou torcida para a participante Linn da Quebrada, do BBB22.

Um dia antes de morrer, na última terça-feira (19), ela chegou a responder algumas mensagens dos fãs e deixou uma postagem que representa seu legado. 

No seu perfil oficial do Twitter, ao ser elogiada por um fã, Elza Soares agradeceu: "Coisa mais linda de se ler, menino. Amo você".

Em mais uma resposta para outro fã, ela citou o seu filme My name is now (2014), que conta a história da sua vida. O título, em português, significa "Meu nome é agora", frase que com certeza eterniza a sua carreira

"My name is now, meu amor", escreveu ela, na última postagem nas redes sociais antes de sua morte.

CARREIRA BRILHANTE

Refazer a trajetória de Elza Soares é pensar a própria história do Brasil. A menina magricela que encantou Ary Barroso com sua 'voz do planeta fome' é retrato e reflexo de um país que não olha aos seus, mas que diante da dor cotidiana encontra beleza e refaz o destino.

Nascida Elza Gomes da Conceição nos arredores de Padre Miguel, no Rio de Janeiro, se casou aos 12 anos e viveu um longo caminho marcado pela violência física, psicológica e sexual. Do romance com Garrincha, ídolo nacional, passando pelas oportunidades que agarrou com sua voz capaz de graves e improvisos inimagináveis, a menina sempre foi vidraça. Sofreu perseguições da imprensa, foi acossada por um racismo brutal, marcada pelo machismo velado. A menina que um dia carregava lata d'água na cabeça explodiu estatísticas e se pôs em pé.