Contigo!
Facebook Contigo!Twitter Contigo!Instagram Contigo!
Famosos / IDIGNADA

Desolada, Pâmella Holanda desabafa e cobra decisão sobre medida protetiva: “Não sai do papel”

Após denunciar DJ Ivis, ela mostrou sua indignação e lamentou por mulheres que estão na mesma situação

Redação Contigo! Publicado em 28/09/2021, às 09h30

Desolada, Pâmella Holanda desabafa após demora no andamento de seu caso: “Não sai do papel” - Reprodução/Instagram
Desolada, Pâmella Holanda desabafa após demora no andamento de seu caso: “Não sai do papel” - Reprodução/Instagram

Na noite desta segunda-feira (27), Pâmella Holanda recorreu ao seu perfil nas redes sociais para fazer um desabafo sobre o andamento de um pedido de medida protetiva após as denúncias que protocolou contra o ex-marido, DJ Ivis

Ela mostrou sua indignação com a demora para o aval da solicitação que foi feita com urgência.

“A minha revolta é que mesmo o meu caso tendo repercussão, tendo mudado uma lei, tendo encorajado milhões de mulheres no país todo, o judiciário não anda! Coisas mínimas não são deferidas! E não, não estou passando necessidade, graças a Deus, porque eu trabalho, mas eu me indigno com a lentidão no meu caso de uma medida de urgência, com prazo de 48h, que há quase três meses não sai do papel, uma medida provisória que não é a final”, disse ela.

E, lamentou. “Imaginem a quantidade de mulheres que estão nessa situação há anos? Eu não consigo imaginar o sofrimento! A justiça deve ser executada e não protelada! É por isso que as pessoas estão cada vez mais desacreditadas”, declarou ela.

Pâmella Holanda denunciou o então marido DJ Ivis em julho de 2021. Ela gravou vídeos com supostas agressões praticadas pelo cantor. O caso gerou revolta e ele acabou preso após uma decisão judicial. 

RECUPERAÇÃO

Há alguns dias, Pâmella Holanda, se abriu em sua rede social sobre como tem recuperado sua saúde mental após a separação de DJ Ivis, a quem denunciou em julho por violência doméstica.

A arquiteta começou o desabafo falando que não quer "se vitimizar" e celebrou o fato de estar livre das agressões. "Se vitimizar te paralisa. Se deixar ser tratado como coitado te põe no lugar de um. E nós não nascemos para sermos miseráveis, mesquinhos, limitados, rotulados... eu fui violentada fisicamente, psicologicamente, moralmente e nunca revidei, nunca respondi ninguém, nunca perdi minha paz nem gastei minha energia com absolutamente nada disso porque hoje eu sou livre. E se eu tivesse que pagar esse preço para ser livre, pagaria mil vezes".