Contigo!
Facebook Contigo!Twitter Contigo!Instagram Contigo!Spotify Contigo!
Famosos / Desabafou

Cleo desabafa sobre doença autoimune e dificuldade de acompanhar Fiuk no BBB21

A filha de Glória Pires ainda elogiou a coragem do irmão em expor suas vulnerabilidades; confira!

Redação Contigo! Publicado em 13/02/2021, às 17h50 - Atualizado às 17h57

A filha de Glória Pires ainda elogiou a coragem do irmão em expor suas vulnerabilidades - Reprodução/Instagram
A filha de Glória Pires ainda elogiou a coragem do irmão em expor suas vulnerabilidades - Reprodução/Instagram

Na noite desta sexta-feira (12), Cleo fez um desabafo sobre as crises que tem por causa de sua compulsão alimentar e da Tireoidite de Hashimoto, uma doença autoimune que dificulta a ingestão de certos alimentos, e por conta disso não consegue acompanhar Fiuk no Big Brother Brasil 21.

“Queria, mais uma vez, agradecer imensamente à minha equipe, que me ajuda em todos os momentos, que me apoia emocionalmente, fisicamente, psicologicamente. Não é fácil quando a Hashimoto ataca. Você fica sem forças, sem energia, seu corpo dói, você não consegue fazer nada. Só que eu sou muito exigente, gosto muito de trabalhar e odeio faltar com meus compromissos, então, eu vou e sem minha equipe não sei se conseguiria fazer metade das coisas que eu faço. Principalmente quando a minha saúde está gritando. Então, eu amo vocês”, declarou ela.

A artista disse que, quando a compulsão alimentar vem, não é fácil controlar e isso prejudica muito quem tem Hashimoto. “Porque você não tem compulsão de comer salada, tem compulsão de comer coisas que tem lactose, glúten, açúcar e a compulsão e o excesso fazem a Síndrome do Hashimoto gritar.  E você fica parecendo que está doente mesmo, acabada, parece que passou um trator em cima de você”, completou.

APOIO PARA O IRMÃO NO BBB21

A filha de Glória Pires ainda contou que, por conta das crises, não está conseguindo acompanhar o irmão, Fiuk, no BBB21. Ela ainda falou sobre o cantor expor em rede nacional que tem depressão e Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH) e dizer que quer se “descontruir” de preconceitos e machismos.

“Todo mundo ama meme, se zoa, supertranquilo, mas julgar uma pessoa e começar um discurso de ódio e um surto coletivo de ódio contra essa pessoa, que está ali se colocando à prova, querendo crescer e evoluir, porque isso está claro que ele quer... um menino que já estava em contato com no estudo de gênero, do lugar de privilégio que ele ocupa, sendo um homem branco cis, hetero, tudo aquilo que ele fala. Sinto orgulho em ele ser um homem com tantos privilégios e querer descontruir, entender como pode contribuir com o entorno dele através desses privilégios", finalizou.