Contigo!
Facebook Contigo!Twitter Contigo!Instagram Contigo!Spotify Contigo!
Famosos / SUSTO

Cinco meses após diagnóstico de câncer, Fátima Bernardes exalta resiliência: "Parece que não foi comigo"

Em momento raro, apresentadora volta a falar sobre a doença e exalta sua força para dar a volta por cima

Redação Contigo! Publicado em 16/04/2021, às 08h53

Cinco meses após diagnóstico de câncer, Fátima Bernardes exalta resiliência: "Parece que não foi comigo" - Reprodução/TV Globo
Cinco meses após diagnóstico de câncer, Fátima Bernardes exalta resiliência: "Parece que não foi comigo" - Reprodução/TV Globo

Cinco meses após dar um susto nos fãs e revelar um câncer, a apresentadora Fátima Bernardes mencionou o momento de luta que viveu em entrevista ao programa Conversa com Bial que vai ao ar nesta sexta-feira (16).

Na entrevista, a jornalista disse que a força e a determinação foram decisivas para que ela enfrentasse a doença. Hoje, a doença ficou no passado.

"Quando eu ouço ‘câncer’, essa palavra, parece que não foi comigo. Veio uma força, uma determinação de que as coisas iam dar certo. E elas deram certo", afirmou.

Ela conta também que tenta sempre manter o 

"Eu acho que a felicidade contagia, eu acredito nisso. Acredito que o que as pessoas geram de positivo vem para mim e o que elas geram de negativo eu não sei onde fica, mas para mim não vem", afirmou.

Fátima Bernardes voltou ao programa em janeiro após passar por uma cirurgia. Na atração, a global também fez um relato emocionado da sua luta contra o câncer. Ela não segurou as lágrimas e fez um desabafo sobre empatia.

"Sempre tentei me colocar no lugar das pessoas que recebiam a notícia do câncer, e quando eu soube que estava com câncer foi um soco, a gente pensa que vai cair, mas não sabe onde. Eu me sinto ainda me recuperando do soco, sem entender muito bem, como absorvesse, mas ainda sem refletir muito bem. Eu me cobro muito em minha vida e no que eu mudei depois do ocorrido? Eu sempre fui muito preocupada com a minha saúde, muita ansiosa, e talvez a maior mudança seja perceber que parar, contemplar, ficar um pouco à toa, também é uma forma de viver."