Contigo!
Facebook Contigo!Twitter Contigo!Instagram Contigo!
Famosos / GENTE!

Aos 55 anos, Roberta Close revela nome de cantor famoso com quem viveu romance: "Os machões se rendiam"

Uma das mulheres mais belas dos anos 80 e 90, ela revelou segredo do passado em entrevista

Redação Contigo! Publicado em 25/06/2020, às 09h55 - Atualizado em 06/07/2020, às 19h37

Aos 55 anos, Roberta Close revela nome de cantor famoso com quem viveu romance - Reprodução
Aos 55 anos, Roberta Close revela nome de cantor famoso com quem viveu romance - Reprodução

Uma das mulheres mais belas dos anos 80 e 90, a modelo Roberta Close revelou que viveu um romance com um cantor famoso.

Em conversa com o jornal carioca Extra direto da Suíça, onde vive, ela contou que no meio do burburinho que causava, ela se relacionou com o cantor baiano  Waldick Soriano, do hit Eu Não Sou Cachorro Não.

"Meu encontro com Jece Valadão (ator) no Chacrinha deu muita mídia. Logo depois fui fazer uma peça com ele, 'Somente às quartas-ferias'. Ficamos mais de um ano em cartaz. Eu ficava nua em cena (antes da cirurgia de redesignação de gênero), mas não tinha problema. Eu tinha um corpo lindo e sempre fui muito feminina. Todos os machões se rendiam a Roberta Close. Tanto que tive um affair com o cantor Waldick Soriano".

Na entrevista, ela também falou sobre a vida como modelo nas principais passarelas do mundo.

"Naquela época ou você era bonita ou era feia. Não havia muitos recursos. Minha sorte é que sempre tive um corpo lindo. Com 16 anos, eu já tinha um corpo que era uma graça. Trabalhei com os principais estilistas do Brasil e do mundo, como Jean-Paul Gaultier e Thierry Mugler. Fui para o mundo inteiro. Mas eu chegava, desfilava e saía. Nada podia ser dito. Nada se falava sobre quem eu era", declarou.

PODEROSA

Em janeiro, ela aproveitou as temperaturas amenas em Zurique, na Suíça, para colocar o corpão para jogo em uma foto de biquíni.

Roberta, que hoje assina o sobrenome Gambine, mora fora do país há 26 anos desde que se casou com o empresário suíço Roland Granacher. Ela vive uma vida reclusa e longe das dezenas de capas de revista que estampou nos anos 80 e 90.