Contigo!
Facebook Contigo!Twitter Contigo!Instagram Contigo!Spotify Contigo!
Famosos / Gata sarada

Angélica mostra barriga sequinha em raro clique de biquíni: "Brilha"

Aos 48 anos, Angélica impressiona e mostra barriga sequinha e a famosa pinta; veja

Redação CONTIGO! Publicado em 08/02/2022, às 12h23

Angélica mostra barriga sequinha em raro clique de biquíni - Reprodução/Instagram
Angélica mostra barriga sequinha em raro clique de biquíni - Reprodução/Instagram

A apresentadora Angélicaimpressionou seguidores ao mostrar o corpão de biquíni nesta terça-feira (08). Aos 48 anos, a esposa de Luciano Huck exibiu a barriga sequinha, a cintura fina e a famosa pinta na coxa enquanto tomava sol.

Usando um biquíni azul finíssimo, a loira deixou a boa forma evidente e abriu o sorrisão ao ser tocada pelo sol. "Ué... não era verão, Rio de Janeiro? Que chuva é essa? Uma fotinha que achei na minha galeria das minhas férias!", escreveu ela na legenda.

Seguidores lotaram os comentários com elogios à global. "Serenidade de quem já tem milhões", soltou um fã. Outra escreveu: "Brilha como o sol!". Teve ainda quem comentasse a beleza de Angélica: "Com um corpo desse, é verão todo dia".

No fim de janeiro, o casal publicou um raro clique da filha mais nova, Eva. “‘Filha, faz uma cara séria para o papai tirar uma foto’. E de repente sai esta pintura que me enche de orgulho a cada olhar. Como é bom poder tirar alguns dias “off” para ficar juntos deles. Juntos para valer.”, iniciou o comandante do Domingão, mostrando que está aproveitando os dias de folgas em família.

Os apresentadores também são pais de Benício, de 14 anos, e de Joaquim, de 16.

Confira a boa forma de Angélica:

TRISTE

A apresentadora Angélica surgiu muito emocionada nas redes sociais ao se despedir de uma de suas grandes fãs, Babalu Vendraminy.

Ela teria tirado a própria vida após um ataque preconceituoso. Revoltada, a loira pediu o fim desse tipo de violência contra as minorias. "Respeito. Hoje vim falar de respeito. Uma dor, na verdade. Nós vivemos em uma sociedade opressora, em um país que tem a maior taxa der mortalidade de travestis e pessoas trans", pontuou ela.