Contigo!
Facebook Contigo!Twitter Contigo!Instagram Contigo!Spotify Contigo!
Famosos / QUEBROU O SILÊNCIO

Acusada de mentir diagnóstico, Camila Pitanga se pronuncia no Fantástico: "Guerra de ódio"

Em entrevista, atriz desabafou após ser acusada de mentir para poder tomar cloroquina

Redação Contigo! Publicado em 17/08/2020, às 14h15 - Atualizado às 14h15

Camila Pitanga se pronuncia após acusações de que teria mentido diagnóstico - Reprodução/Instagram
Camila Pitanga se pronuncia após acusações de que teria mentido diagnóstico - Reprodução/Instagram

A atriz Camila Pitanga mostrou personalidade ao rebater no Fantástico deste domingo (16) informações falsas que estão circulando nas redes sociais.

Diagnosticada com malária, ela foi acusada de mentir para poder tomar cloroquina. Sem nem perceber, ela se viu no meio de uma guerra ideológica.

"Isso tudo, eu acho que essa explosão de fake news veio porque eu fiz um agradecimento à rede SUS, eu fiz um agradecimento aos profissionais, aos agentes de saúde, que estão aí, vivendo a trincheira contra a pandemia da Covid, mas que também tem que lidar com outras doenças. O voto de gratidão por questões que a gente sabe que estamos enfrentando uma disputa política, uma guerra de ódio que eu não faço parte", destaca a atriz.

SINTOMAS

No programa, ela também relatou o que sentiu quando os sintomas da doença começaram a acontecer.

A atriz contraiu a doença porque está em uma casa envolta em uma floresta de mata atlântica. 

"Picos de febre, assim, dia sim, dia não, e tinha hora marcada. Duas e meia, eu começava a sentir um calafrio, que vinha tênue e que estremecia meu corpo inteiro, dor de cabeça. E essas febres, que chegava a 39,5ºC, em uma velocidade muito rápida, e me pegava desprevenida, porque no dia em que não estava com febre, eu parecia absolutamente saudável", conta Camila.

REVELAÇÃO

A global revelou o diagnóstico há uma semana, na noite da última segunda-feira (10). Ela surpreendeu a web ao contar a novidade

“Foram 10 dias de muito sufoco. Entre picos de febre alta, calafrios e total incerteza. Havia a sombra da possibilidade de estar com covid-19. Somente no domingo recebi o resultado negativo do meu PCR. Mas no lugar de me aliviar, permanecia a agonia pois eu não fazia ideia do que eu poderia ter. Estava à deriva.", disse ela, que está passando o isolamento social numa região de Mata Atlântica: