exclusivas   / EM LAÇOS DE FAMÍLIA

Soraya Ravenle agradece acolhida de Vera Fischer em Laços de Família: ''Eu estava insegura''

Hoje com carreira sólida no teatro, atriz relembra sua estreia nas novelas na trama que está em reprise na TV Globo

Gabriela Cunha Publicado quinta 17 setembro, 2020

Hoje com carreira sólida no teatro, atriz relembra sua estreia nas novelas na trama que está em reprise na TV Globo
Soraya Ravenle conta que amizade com Vera Fischer permanece - TV Globo/Reprodução

Vinte anos após encantar o público em Laços de Família, a atriz Soraya Ravenle conversou com a CONTIGO! sobre a edição especial da novela exibida atualmente pelo Vale a Pena Ver de Novo. Sucesso a cada nova exibição, a trama de Manoel Carlos segue viva na memória do público.

Segundo ela, saber que um trabalho tão marcante vai voltar ao ar é sempre um misto de emoções.

"[É uma] surpresa boa. A emoção de revisitar uma experiência de 20 anos atrás provoca uma outra experiência que te joga num verdadeiro túnel do tempo. Você é obrigada a revisitar as sensações, emoções, relações, acontecimentos daquele momento, daquela pessoa que você era, e quando você revisita esses lugares você também tem a oportunidade de ressignificá-los. É muito rico esse mergulho", conta ela.

Foi com a trama de Manoel Carlos que a carioca atuou em sua primeira telenovela, interpretando a forte Yvete, casada com o segurança Viriato (Zé Victor Castiel). A personagem emocionava e divertia o público, numa troca que funcionou. "Zé é uma pessoa linda e um ator admirável, e acho que tivemos a tal da 'química', fizemos um bom jogo." 

Sobre a cumplicidade com Vera Fischer, ela é só elogios. Nos bastidores, as duas construíram uma relação que dura até hoje. "Naquele momento ela me acolheu carinhosamente, pois sentiu o quanto eu estava insegura e com medo já que foi minha primeira novela. Até hoje me prestigia assistindo meus trabalhos no teatro", diz.

Yvete era admirada pelo público por sua personalidade forte e por ser firme em suas colocações. Nas palavras da atriz, há algumas características em comum entre as duas. "O companheirismo dela tanto na relação com Helena, sua amiga/irmã, quanto com a família é algo que temos de parecido. A capacidade de manter alguns laços que atravessam toda a vida também é uma característica que trago comigo", declarou.

A reexibição da trama também é uma oportunidade para ganhar o carinho do público. Ela conta que sempre recebe muitas mensagens com elogios para a personalidade da personagem, um papel de muita identificação com o público. "Recebi muito carinho na época, até porque a Ivete é uma mulher forte, guerreira e amorosa, amiga fiel, esposa que persiste e luta por aquele casamento, apesar das dificuldades, qualidades muito admiradas pelas pessoas", afirma.

CARREIRA SÓLIDA NO TEATRO

Hoje com 56 anos, a atriz se dedica aos palcos e é vista em muitas produções para o teatro. Neste período de pandemia, ela inclusive estrelou espetáculos transmitidos pela web, uma maneira de levar cultura para quem está em casa respeitando o isolamento social.

Em alta, ela relata que seu trabalho como atriz é sempre íntimo e visceral.

"Busco abordar os personagem contemplando a complexidade humana e deixando que suas questões atravessem e dialoguem.com as minhas próprias questões. Acho que uma das inúmeras diferenças entre as linguagens da TV e do teatro é relativa ao tempo: tempo de ensaio e preparação assim como a questão da repetição no teatro (que não se trata na verdade de repetição)", explica ela que reitera as diferenças entre as câmeras e o olhar do público.

"O desenrolar de uma trama de novela você vai recebendo aos poucos e lidando com novidades imaginadas pelo autor, que muitas vezes te surpreende e te leva a caminhos que você nem imagina quando começa a trama, e isso é muito desafiador. Enfim, são muitas diferenças, mas igualmente ótimos desafios para uma atriz", afirma.

Último acesso: 25 Oct 2020 - 09:06:39 (1124319).