exclusivas   / Fenômeno

Relembre o que aconteceu no desfecho de A Próxima Vítima, novela que parou o Brasil há 25 anos

Um dos maiores sucessos da Globo nos anos 90, paralisou o país para descobrir quem era o assassino da trama de Silvio de Abreu

Redação Contigo! Publicado terça 3 novembro, 2020

Um dos maiores sucessos da Globo nos anos 90, paralisou o país para descobrir quem era o assassino da trama de Silvio de Abreu
Um dos maiores sucessos da Globo nos anos 90, paralisou o país para descobrir quem era o assassino da trama de Silvio de Abreu - Reprodução/TV Globo

Fenômeno de audiência nos anos 90, A Próxima Vítima mobilizou o Brasil com sua trama cheia de suspense.

Nesta terça-feira (3) completa 25 anos que o país parou para acompanhar o desfecho da novela de Silvio de Abreu. Com duração de oito meses, já que o folhetim estreou em março daquele ano, ela ficou marcada por seu roteiro inteligente e personagens marcantes. 

A trama girava em torno de uma série de assassinatos que, de início, não tinham nenhuma conexão. As únicas coisas que ligavam as mortes eram um Opala preto e uma misteriosa lista de símbolos do horóscopo Chinês.

No final do folhetim, a identidade do assassino é revelada: Adalberto (Cecil Thiré), havia matado, quando jovem, Gigio di Angelis (Carlos Eduardo Dolabella) e, após 20 anos, decidiu eliminar todas as testemunhas do seu crime. A Próxima Vítima teve 11 assassinatos ao longo da sua exibição.

Grandes artistas formaram o elenco, entre eles estão: Susana VieiraGlória MenezesTereza Rachel, Tereza Rachel, Marcos Frota, Tony Ramos, Selton Mello, Rosamaria Murtinho e Alexandre Borges.

Logo, o folhetim caiu no gosto popular e surpreendeu com um desfecho para lá de polêmico. Relembre o que aconteceu naquela sexta nos estúdio da Globo.

ESPECULAÇÕES

Com o assédio da mídia para descobrir quem era o assassino e da repercussão da trama junto ao público, Silvio de Abreu foi obrigado a fazer algumas alterações no desfecho da história.

De início foi cogitado a exibição ao vivo do último capítulo, para evitar que o final fosse descoberto antes da transmissão, mas isso não aconteceu. O autor e o diretor da novela, Jorge Fernando, resolveram gravar às 13h três possíveis desfechos – a novela ia ao ar às 20h30.

Abreu enviou as cenas alternativas para a emissora, com o capítulo já editado. Quando entraram no estúdio, os atores receberam suas falas, e só então ficaram sabendo quem era o assassino.

"Se decidimos escrever uma novela de suspense, isto é o mínimo que podíamos fazer. Nosso papel é justamente o de esconder o assassino até o final”, disse Silvio de Abreu, em entrevista para a Folha de São Paulo, na edição daquele dia.

CENAS DO ÚLTIMO CAPÍTULO

O tão esperado desfecho foi todo focado na revelação do assassino e revelações de alguns segredos que envolviam os personagens já mortos na trama. Mas o ponto alto, sem dúvida, foi o retorno de Francesca (Tereza Rachel) depois de ter forjado sua morte.

A novela também teve alguns finais felizes, como de Irene (Viviane Pasmanter) e Diego (Marcos Frota) no casamento que precede a morte final da trama.

Já no quesito amoroso, o público só queria saber: Com quem Juca (Tony Ramos) vai ficar? Com Helena (Natália do Vale), a Bonitona do Morumbi ou Ana (Susana Vieira), seu grande amor? No final, o feirante acabou escolhendo Helena. Ana acabou ficando com Marcelo (José Wilker),  pai de seus filhos.

REPERCUSSÃO

Quanto à audiência do último capítulo, o pico foi de 64 pontos, alcançado no momento da revelação do assassino.

De acordo com a Folha de São Paulo do dia 04 daquele ano, data posterior ao final da trama, o Ibope registrou uma audiência média de 62 pontos na Grande São Paulo – número que corresponde a aproximadamente 6,2 milhões de telespectadores, naquela época.

A Próxima Vítima foi vendida para mais de 20 países, entre os quais Cuba, Estados Unidos, Guatemala e Hungria.

REPRISE COM ASSASSINOS DIFERENTES

Como o folhetim seria exibido em outros países, foi preciso escolher outro assassino, para a história não perder a graça. Na versão internacional, Ulysses (Otávio Augusto), o irmão de Ana (Susana Vieira), se tornou o serial killer.

Para dar coerência a história, Silvio de Abreu teve que cortar algumas cenas da novela original. O novo final foi exibido no Brasil em 2000, no Vale a Pena Ver de Novo.

Último acesso: 04 Dec 2020 - 21:54:00 (1129458).