Contigo!
Facebook Contigo!Twitter Contigo!Instagram Contigo!
Exclusivas / ALEGRIA!

Tiago Abravanel diz que marido é amado e respeitado por sua família: “Eu sou um homem privilegiado"

Em entrevista, apresentador comemora sucesso como apresentador e exalta relação feliz com Fernando Poli

Aleksander Santos Publicado em 29/06/2021, às 15h15

Tiago Abravanel comemora Mês do Orgulho e detalha relação do marido com a família - Divulgação / Tavinho Costa
Tiago Abravanel comemora Mês do Orgulho e detalha relação do marido com a família - Divulgação / Tavinho Costa

Um dos símbolos de representatividade LGBTQIA + nos meios de comunicação, Tiago Abravanel viu seu nome estourar nas redes sociais após compartilhar um vídeo explicando toda luta da comunidade contra a intolerância e o preconceito. Aplaudido de pé por amigos e seguidores, o comunicador garante que desde seus primeiros passos na televisão ele faz questão de carregar a bandeira para educar todos sobre a diversidade. 

No Mês do Orgulho, o neto de Silvio Santos conversou com CONTIGO! e abriu o jogo sobre a relação da família com seu marido, seus maiores orgulhos em um país ainda preconceituoso e a esperança nas futuras gerações para uma sociedade mais inclusiva e respeitosa.  Deu tempo também do comunicador detalhar sua experiência à frente do ‘Sai da Caixa’, programa em que ele recebe amigos e famosos em sua residência para um bate-papo muito divertido.

SE REINVENTANDO NA PANDEMIA

Nos últimos meses, o apresentador encontrou um jeito simples e gostoso de driblar o tédio da quarentena. Com projetos paralisados, ele apostou em na criatividade e lançou o ‘Sai da Caixa’, um programa de entrevistas em parceria com o UOL em que mescla com êxito a informalidade de seu jeito de entrevistar com seu talento musical.

“O ‘Sai da Caixa’ é um projeto super gostoso onde eu tô na minha casa recebendo pessoas que eu admiro, que eu respeito muito na música. Alguns que eu tenho mais intimidade, outros menos, mas foi muito gostoso recebê-los na minha casa. A estreia do programa foi uma delícia, com meu xará, [Thiaguinho], meu amigo, parceiro. Ele tá sempre nos meus projetos, é um irmão mesmo. Tô muito feliz com o resultado do programa e espero que as pessoas estejam gostando também!”, destaca.

Com quatro episódios já lançados, o comunicador celebra o sucesso do projeto que enfrentou o desafio de manter um protocolo sanitário rígido para evitar contaminações na equipe.

“A produção do programa é bem enxuta. A gente, obviamente, está cuidando de todos os protocolos de segurança para poder gravar da melhor maneira possível, mas tudo muito tranquilo. É engraçado porque eu não me vejo ali como um entrevistador, sabe? Eu me vejo como um parceiro, só trocando ideias sobre música, sabe? Acho que por isso que rolou tão gostoso, tão despretensioso! É uma vibe muito tranquila, inclusive para dar mais intimidade para a entrevista.”

MÊS DO ORGULHO

Aproveitando os holofotes das telinhas, Abravanel revela que se sente honrado de seu papel na luta da comunidade LGBTQIA+. Ao refletir sobre sua trajetória, o cantor se orgulha ao relembrar das barreiras vencidas após tornar pública sua orientação sexual.

“A minha luta foi desde sempre. Não só nesse mês, mas na minha vida toda por essa causa, essas pessoas, pelo respeito, pelo amor. É claro que, a partir do momento que eu falei publicamente sobre a minha orientação sexual, isso tomou uma outra proporção positiva eu diria. Positiva porque eu sei que eu como uma pessoa que luta pela causa, inspiro mais as pessoas a acreditarem que você pode ser aquilo que você é, ter o amor que você quiser ter, ter o respeito das pessoas que estão a sua volta.”

Humilde, Abravanel reconhece que desde sempre pode contar com o amparo de amigos e familiares. Porém, ele coloca como meta pessoal estender esse privilégio a novas gerações.

“É uma luta diária, é claro que eu sei que eu sou um homem privilegiado porque tenho um núcleo familiar que me aceita, amigos que me respeitam e me amam do jeito que eu sou. Meu marido é super parceiro e também engajado na causa, então sei que eu não sofri nem um décimo, sei lá, um centésimo do que tantas pessoas sofrem. Que a gente continue lutando não só por elas, mas pelo mundo todo, para que as pessoas possam viver sem medo de ser feliz, sem medo de amar.”

Muito bem casado com o produtor Fernando Poli há quase seis anos, o cantor não esconde que sua maior conquista é poder vivenciar o respeito debaixo de seu teto com sua família.

“Existem vários momentos em que me sinto orgulhoso por essa comunidade e por ver a evolução dela. Não só social, mas interna também. Desde um beijo que eu dou no meu marido em cima do palco num show, até ver os meus sobrinhos amando e respeitando o tio Fe, sabe? Isso tudo faz parte desse orgulho, e a gente vai continuar vivendo, amando, respeitando e lutando!”, destaca.

Questionado sobre seu maior sonho para o futuro da comunidade LGBTQIA+, Abravanel vê com bons olhos o progresso da luta e idealiza uma sociedade sem questionamentos. 

“Eu acho que é o não questionamento. O dia que isso tudo não for uma questão. A gente ainda luta porque é uma questão, porque as pessoas ainda sofrem, ainda morrem por conta disso. O dia que isso não for uma questão, que isso não existir mais, eu vou realizar esse sonho," exalta.

Otimista, o cantor ainda revela que busca diariamente deixar um recado para a sociedade sobre a importância do respeito e não esconde que o poder da mudança está nas mãos das futuras gerações.

“Eu acho que meu recado eu dou todos os dias quando eu falo de amor, quando falo de respeito, quando vejo a alegria da minha família ao receber o meu marido dentro da minha família, e vice-versa. Eu me sinto orgulhoso quando vejo pessoas trans conquistando seu espaço no mercado de trabalho, quando tem um projeto que alcança visibilidade para essas pessoas. Eu me vejo orgulhoso quando acompanho jovens muitos mais novos do que eu entendendo com sabedoria e leveza aquilo que é muito simples, aquilo que não é uma questão,” aponta.

Por fim, Abravanel enaltece o papel das próximas gerações no combate pelo fim do preconceito. “E que a gente possa aprender com eles, porque eles sim vão ter forças para continuar lutando e lidar com essa nova sociedade que a gente vive, com mais sabedoria, clareza e respeito, sem questionamentos vazio.”