Contigo!
Facebook Contigo!Twitter Contigo!Instagram Contigo!Spotify Contigo!

Maurício Machado diz: "Não posso perder tempo com nada na vida!"

Prestes a estrear sua primeira novela das 9, ele conta como a paixão pelas artes o fez construir uma carreira de sucesso como ator e produtor

Por Fabricio Pellegrino Publicado em 04/09/2016, às 12h00 - Atualizado em 07/08/2019, às 17h44

Maurício Machado diz: "Não posso perder tempo com nada na vida!" - Fotos Martin Gurfein
Maurício Machado diz: "Não posso perder tempo com nada na vida!" - Fotos Martin Gurfein
A frase que dá título a essa matéria só poderia ser de Maurício Machado. O ator, que fará o político corrupto Arlindo Nacibe na próxima novela das 9, A Lei do Amor (Globo), está em cartaz com o musical O Aprendiz de Feiticeiro, em São Paulo, e é sócio-diretor e curador artístico do Teatro J. Safra, também na capital paulista, além de dirigir sua própria agência, Manhas e Manias, responsável por projetos e eventos culturais. Ele aguarda o lançamento do seu primeiro longa, Magal e os Formigas, e rodará ainda este ano, como ator e co-produtor, o filme Mulheres Alteradas. Como arruma tempo para tudo isso? “A minha mãe dizia: quem corre por gosto não se cansa. Quando fazemos algo que adoramos, vira diversão e prazer”, pontua o multímidia. 

Enquanto lê Um Beijo em Franz Kafka, que levará ao teatro em breve, ele faz carinho no gato Baltazar

Porta na cara e prêmio
Antes de chegar ao atual patamar de sucesso, Maurício precisou colocar seus sonhos acima das expetativas da família. “Aos 12 anos, pedi ao meu pai para me colocar em uma escola de teatro. Ele negou e disse que isso era coisa de veado”, conta. O julgamento não foi empecilho para o jovem, que entrou, escondido, em grupos amadores. Aos 16, a convite da atriz Mara Manzan (1952-2009), foi para São Paulo prestigiá-la nos palcos. “Bati na casa da Mara e a tia dela não me deixou entrar. A encontrei no teatro. No dia seguinte, ela me levou para ver Patinho Feio e me perguntou se gostaria de fazer o papel principal, pois o ator deixaria a peça. Fiz o teste e estreei. Ganhei um importante prêmio revelação na época”, relembra.

Plano de carreira
O ator emplacou um papel atrás do outro no teatro e, embora requisitado, não era bem remunerado. “Eu passava fome. Atuava em jejum. Às vezes, fazia teste para comercial e, com o cachê, comia um pão doce. Não pedia ajuda, pois meu pai foi categórico ao dizer que, caso me mudasse para São Paulo, não me ajudaria. Ele morreu em 1995 e entendi que queria me proteger da instabilidade da profissão”, conta. Mara levou Maurício para casa e o acolheu. Pouco depois, ele voltou ao Rio a fim de concluir os estudos, cursar dança e circo. Como aprendeu cedo o que chama de “a realidade da classe artística”, há 20 anos, abriu sua própria agência. “Comecei a produzir pela possibilidade de traçar um plano de carreira, ter respeito e credibilidade. Apenas com uma produtora conseguiria fazer os personagens que gostaria”, revela. Assim, levou à cena clássicos como O Corcunda de Notre Dame 
e Gulliver. 

Dedicado ao teatro, Maurício atua nos palcos e fora deles como empresário, para levar seus projetos à cena

Estreia em horário nobre 
Na Globo, brilhou em três novelas das 6, Alma Gêmea (Baltazar), Cama de Gato (Pink) e Cordel Encantado (Silvério). Seu último personagem na TV foi Edgard, de Chiquititas (SBT). Agora, viverá seu primeiro papel em horário nobre, na global A Lei do Amor. “O Arlindo é um deputado corrupto”, entrega. A inspiração para o papel vem da vida real. “Tenho visto a TV Senado. Aquilo é um teatro da farsa”, ironiza.