Contigo!
Facebook Contigo!Twitter Contigo!Instagram Contigo!Spotify Contigo!

Mallu Magalhães: delicadeza em forma de mulher destemida

A cantora está no Brasil para divulgar o seu quarto trabalho solo e bateu um papo exclusivo com CONTIGO!, sobre as histórias por trás de cada composição

Por Tainá Goulart Publicado em 21/06/2017, às 19h26 - Atualizado em 06/03/2020, às 15h29

Mallu Magalhães divulga o disco Vem - Fotos: Divulgação
Mallu Magalhães divulga o disco Vem - Fotos: Divulgação

“Você tem que trocar a água pelo menos três vezes antes de cozinhar. O melhor é deixar de molho de um dia para o outro e, depois, é só temperar do seu jeito. O Marcelo adora quando eu cozinho o meu feijão para ele.” É assim, com algumas dicas de culinária, que começa o papo exclusivo que Mallu Magalhães bateu com CONTIGO!, em São Paulo. Ela, que mora em Lisboa, Portugal, há mais de dois anos, veio a sua terra natal para divulgar o novo álbum, Vem, e mostra que não foi só sua versão ‘mestre-cuca’ que amadureceu. Em cada uma das doze faixas do disco, o quarto de sua carreira solo, a cantora traz a mulher mãe de Luísa, 1 e meio, casada com Marcelo Camelo, crescida e vivenciada para sua sonoridade. “Não consigo dizer que moro em Lisboa mesmo, pois venho muito para o Brasil, no mínimo três vezes por ano, e acho que esse som desse disco é de uma vontade de falar da minha essência. A escolha de fazer casa em outro lugar ajuda na hora de renovar a identidade com um distanciamento muito interessante e o Vem é a minha repaginada”, defende.

A capa do disco Vem

Na verdade, Mallu diz que é uma confirmação da sua carreira como cantora e compositora e do seu sonho de ser reconhecida pelo seu trabalho. “Eu carimbei essa posição e fui recebida muito bem pela crítica. A minha entrega e a do Marcelo, que fez todos os arranjos musicais, foi intensa e o material está bem trabalhado. Não me senti insegura em mudar o rumo da minha música, pois sou rodeada de gente que me ama e isso me dá força. Sou uma grande compositora, não?”, pergunta ela, rindo. A resposta afirmativa vem ao ouvir suas composições, que tem no marido, na filha e na vida entre dois países a fonte de inspiração.

“A minha delicadeza em fazer música existe pois é assim que eu vejo a vida. Sofrimentos e alegrias fazem parte dela e a vulnerabilidade que aparento ser é justamente a minha força. Sei que, mesmo indo fundo nas emoções, eu vou voltar bem", diz ela

Mallu conta que ela e Marcelo, ex-vocalista da famosa banda brasileira Los Hermanos, têm dificuldades de separar o trabalho com a vida de casal. É pagamento de músico com a chave que não está abrindo a porta, é ideia para arranjo de sopro com lista do mercado incompleta e assim vai… “Esse é o problema, fica desgastante demais essa mistura em nossas vidas. Da vontade de separar um pouco, impor algumas regras. Nós somos muito calorosos com as nossas carreiras e o Marcelo me ajuda em tudo que eu preciso. Ele vive comigo cada detalhe, da foto de capa ao clipe, sabe? A gente debate tudo e acabamos ficando muito grudados um ao outro. O respeito é o melhor caminho para o nosso relacionamento”, explica a cantora.

A cantora mora em Lisboa, mas brinca que só o gato MORA mesmo lá. "Eu venho, pelo menos, três vezes ao Brasil"

Durante as gravações de Vem, ela também conta que foi engraçado gravar com o marido e, de vez em quando levar a pequena Luísa para o estúdio. “Levamos um bercinho especial para ela e não gravávamos nada enquanto ela dormia. Talvez um violão, mas só isso. A Luísa vai para a escola desde ‘piquitica’ e ela vai com todo mundo, está uma fofa.Tento ao máximo trazer o Brasil pra vida dela. Lembro de quando ela falou mamãe como os portugueses e me deu uma agonia. Lá é ‘mama’ e eu dei tanta ênfase no ‘ãe’ que hoje ela fala ‘mamaãeeeee’”, diz. Com tantas histórias de bagagem pra contar, Vem é o disco de uma mulher destemida e Mallu assina embaixo. “A minha delicadeza em fazer música existe pois é assim que eu vejo a vida. Sofrimentos e alegrias fazem parte dela e a vulnerabilidade que aparento ser é justamente a minha força. Sei que, mesmo indo fundo nas emoções, eu vou voltar bem.”

Teve até bercinho nas gravações do disco