Morando juntos, Renata Castro Barbosa e Leo Castro criam quadro de sucesso para o Zorra: ''É uma loucura''

Em conversa com CONTIGO!, casal exalta parceria na construção do 'DR - Diálogos Risíveis', sucesso do humorístico

Redação Contigo! Publicado quinta 13 agosto, 2020

Em conversa com CONTIGO!, casal exalta parceria na construção do 'DR - Diálogos Risíveis', sucesso do humorístico
No caos da pandemia, casal do Zorra festeja sucesso de série sobre relacionamentos - Sérgio Santoian

Não é de hoje que o casal Renata Castro Barbosa e Leo Castro conquista o público com suas esquetes no Zorra. Nas últimas semanas, o público foi fisgado de vez pelo talento da dupla após a estreia de um quadro que é um dos sucessos da atração exibida aos sábados pela TV Globo.

Eles les emplacaram o quadro DR - Diálogos Risíveis, inteiramente gravado em casa e que tem construído uma identificação imediata com os telespectadores.

Uma veterana no Zorra, onde integra o elenco; há cinco anos, Renata Castro Barbosa é múltipla. Querida pelo público e apaixonada pelo ofício, ela é uma veterana: a atriz estreou ainda criança no sucesso Vale Tudo e coleciona trabalhos no teatro e na TV. Unindo o talento a Leo, que se divide entre a atuação, a direção e a escrita de roteiros, o casal transformou o período de isolamento social - e o próprio relacionamento - em arte.

Em uma conversa com CONTIGO!, os dois contaram detalhes da produção. Dizem que aproveitam situações reais da vida a dois para construir os divertidos (e histéricos) Maurício e Bia. "Acho que talvez tenhamos colocado lentes de aumento em algumas situações", explicam eles que passaram a dividir o mesmo teto durante a pandemia.

CONTIGO! Como tem sido a quarentena juntos?

RENATA: Um desafio. Ao mesmo tempo acho que só mantive alguma sanidade por estarmos juntos. Algumas vezes confesso que dou uma fugida pro quarto, vou lavar uma louça, levar alguma coisa pra minha mãe (só na portaria) pra ter uns minutinhos sozinha. Mas logo dá saudade (risos)

LÉO: Maravilhosa! Considerando que é uma quarentena (risos). A gente não briga, não somos muito de descordar um do outro, a gente se parece e isso ajuda. A gente se observa muito, então fica fácil reparar quando o outro precisa de espaço e eu não tenho problemas em pedir espaço quando preciso. As coisas vão bem!

CONTIGO! Como surgiu a ideia do quadro “Bia e Maurício” do “Zorra” e como tem sido fazê-lo?

LÉO:  Na verdade não foi criado para o Zorra, surgiu como uma brincadeira. Estávamos sentindo muita falta de trabalhar, de gravar… Fizemos uma cena, postamos nas nossas redes e as pessoas curtiram. Esse quadro virou filho dos dois e é uma delícia fazer embora extremamente trabalhoso. Uma super vitória.

RENATA: O Zorra ainda não tinha previsão de voltar e pensamos em fazer algo para as nossas redes sociais, sem grandes produções….Antes da pandemia já vínhamos conversando com o Nelito Fernandes e Martha Mendonça, dois dos redatores chefes do Zorra, sobre montar uma peça com um texto deles, e durante a pandemia descobrimos que ele tinha um livro que nunca foi publicado onde o assunto eram diálogos de casais. Pedimos se podíamos usar e lá fomos nós!

CONTIGO! E como tem acontecido as gravações, as reuniões com a equipe do programa?

LÉO: Normalmente, nos reunimos remotamente com a equipe um dia antes para planejar a gravação do dia seguinte desde plano gravação até figurino. No dia seguinte partimos para as gravações. A equipe fica por vídeo conferencia, mas fisicamente é praticamente um crossfit (risos). O bom é que a gente acaba aprendendo muito das funções uns dos outros.

RENATA: Aqui tá tudo improviso raiz (risos). Tudo pedido de última hora pela internet, lanternas chinesas, (aquelas de papel mesmo), lâmpadas, bocais que eu nem sabia que vendiam separados do abajur…Enfim, minha casa nunca teve tão caótica (risos). É um sem fim de fios, cordas e lâmpadas pendurados por tudo o que é lugar. Mas tá divertido. É uma loucura fazer cenas com quase 10 pessoas conectadas, mas distantes. Não sei como todos nós estamos conseguindo, mas estamos!

LÉO: Quando eu falei pra Renata que eu ia passar cordas pelo teto todo do apartamento para servirem de suporte pra iluminação improvisada, tinha certeza que ela terminaria o relacionamento e me jogaria na rua mesmo com um vírus mortal lá fora. Para minha surpresa ela permitiu, e se empolgou com a ideia. Eu tinha duas câmeras paradas em casa e a mágica é fazer tudo funcionar ao mesmo tempo. Com a equipe do Zorra orientando tudo ficou mais fácil. Eles sabem muito e estão tendo uma paciência de Jó com a gente (risos).



CONTIGO! Vocês já incluíram no quadro algumas situações que de fato tenham vivenciado nessa quarentena?

LÉO: Na primeira cena do casal,  “Maurício e Bia” se veem reféns de uma barata que apareceu em casa, isso de fato aconteceu, mas matei ela na hora. Já Maurício fugiu com medo da barata e Bia foi quem resolveu o problema no final das contas (risos).  O conflito nasceu de algo real, mas o que vem depois é a criatividade quem manda! Eu Léo não tenho medo nenhum de baratas, mas em compensação, morro de medo de aranhas, essas a Renata que resolve mesmo... É uma troca justa (risos)

RENATA: Acho que talvez tenhamos colocado lentes de aumento em algumas situações. O Maurício e a Bia são um casal muito mais neuróticos e briguentos do que nós, mas é sempre divertido poder vivenciar os questionamentos deles. Aqui é tudo bem mais tranquilo, ainda bem (risos).

CONTIGO! Quais as vantagens e as desvantagens de namorar um colega de trabalho?

RENATA: Ainda não descobri desvantagens... É sempre bom dividir ideias, questões e o dia com ele.  A paixão do Léo pelo trabalho é contagiante. Já perdi a conta de quantas noites perdemos divagando sobre o nosso trabalho, criando coisas e discutindo sobre cultura. É uma parceria deliciosa eu realmente só vejo vantagens.

LÉO: Acho que a desvantagem é que o trabalho não para, mas eu sou um viciado em trabalho então eu acho que essa desvantagem é ruim somente para ela (risos). Vantagens são muitas, a Renata está na TV faz bastante tempo e sabe lidar e ganhar espaços de uma maneira muito natural, ela me ensina isso todos os dias. Se ela tivesse uma profissão diferente acredito que ela seria a chefe do setor de relações públicas com mestrado em simpatia, empatia e carisma (risos). Já eu sou bem mais ousado e inquieto, tenho ensinado umas pitadas disso a ela também. Acho que juntos somos uma potência e resultado disso começa a aparecer mesmo num momento apocalíptico como esse.

CONTIGO! Aliás, há quanto tempo vocês estão juntos? E já estavam morando juntos quando a quarentena começou?

LÉO: Estávamos namorando fazia cinco meses, nem pensávamos em morar juntos. Pós separação, eu estava morando com a minha mãe que apavorada com a pandemia, por ser grupo de risco, me disse ou entra para ficar até o final ou se vira (risos), me virei pra casa da namorada! Estava com medo dela não me aturar, mas foi a melhor coisa que fiz! Estamos felizes.

RENATA: No começo confesso, que fiquei com um medinho… Depois de 10 anos de casada estava adorando a ideia de namorar, de encontrar de vez em quando, me arrumar pra encontrar, enfim, namoro. Tinha acabado de jurar para mim mesma que não iria morar com ninguém tão cedo. Mas para minha surpresa está muito mais gostoso do que pensava. Somos parecidos, olhamos a vida por prismas semelhantes ou complementares. Nos divertimos com as bobeiras um do outro, entendemos as fraquezas, os medos… Tirando toda as coisas assustadoras e difíceis do lado de fora, estamos adorando a experiência. E quando a “bola baixa”, com as tristezas e absurdos que estão se passando no nosso país, nos apoiamos um no outro. Mordi a língua e tá valendo à pena.

Último acesso: 05 Dec 2020 - 14:55:49 (1120192).