Contigo!
Facebook Contigo!Twitter Contigo!Instagram Contigo!
Exclusivas / HUMOR

Pequena Lo se torna referência na busca por influenciadores mais diversos: "Fico muito honrada"

Após ano em que colheu muitos frutos, ela agora quer inspirar crianças e jovens com deficiência a mostrarem sua potência criativa

Julia Palmieri Publicado em 19/11/2021, às 15h12

Autêntica e espontânea, Pequena Lo se tornou referência fazendo humor: "Fico muito honrada" - Foto: Divulgação
Autêntica e espontânea, Pequena Lo se tornou referência fazendo humor: "Fico muito honrada" - Foto: Divulgação

Lorrane Silva, de 25 anos, mais conhecida como Pequena Lo, bombou nas redes sociais no último ano fazendo vídeos de humor no aplicativo Tik Tok. Durante a pandemia do coronavírus, a estudante de psicologia e humorista, que já tentava fazer sucesso na internet desde 2015, viu seu sucesso explodir. 

Desde criança, Pequena Lo já mostrava que levava jeito para o humor. Desde muito cedo ela gravava diversos vídeos ao lado da família. “Eu gostava de fazer graça para as pessoas que estavam ali junto comigo”. Ela inventava personagens, contava histórias e encenava situações, sempre com um humor peculiar.

Porém, foi só em 2015 que pensou em levar esse lado artístico para a internet, quando começou a gravar vídeo para o Youtube. Além do humor, a influenciadora também falava sobre assuntos mais delicados, como bullying, preconceito e capacitismo, uma maneira de expor, sem filtros, sua vida de pessoa com deficiência.

“Eu gostava, mas ainda não era o meu perfil. Eu pensei: ‘não é bem isso que eu gosto, eu quero ver outra maneira de levar humor e que combine comigo’”, explicou.

SUCESSO

Apesar de alguns vídeos que fizeram sucesso, foi apenas em 2020, com o Tik Tok que ela passou a bombar com a criação de conteúdos curtos, os chamados “virais”. Foi ali que ela percebeu que realmente gostava de fazer humor a partir de situações do cotidiano e encenar personagens.

O engajamento na plataforma foi crescendo cada dia mais e ela teve que se adaptar a criar conteúdo para uma rede social que ainda estava encontrando um formato. “Era o formato diferente porque eram vídeos menores, de até 30 segundos, então você tinha que ter o pensamento rápido e também encenar rápido ali, resumir o vídeo”.

No TikTok, ela tinha liberdade para criar, editar, colocar efeitos e planos de fundo. Sem roteiro, ela confessa prefere ser espontânea: “As caras e bocas vão vindo, e eu vou fazendo o que vier. Se eu não gostar eu regravo, mas eu não gosto de fazer roteiro”.

Muito autêntica, ela usa a sua formação em psicologia para criar os vídeos, interagir com os seguidores e trazer empatia para suas produções. É dessa forma que os fãs conseguem se identificar com o conteúdo. “As pessoas se colocam naquela situação. Eu acho que também pela espontaneidade, pelas caras e bocas. Tem hora que a gata é debochada”, brinca Pequena Lo, entre risadas.

ROTINA

Após o sucesso na internet, Lorrane se mudou de Minas Gerais para São Paulo e teve que lidar com várias mudanças na sua vida.

“Parece que eu já vivi três anos ou mais, porque muitas coisas aconteceram, a minha vida mudou realmente 360 graus. É algo que eu sempre quis, foi a realização de um sonho. Mas aumentou a responsabilidade, a pressão é muito grande também”.

A humorista vem levando uma rotina puxada desde que começou a fazer vídeos. No ano passado, ela chegou a publicar 6 vídeos em um único dia. Aos poucos, ela foi chamando a atenção da publicidade, o que a fez criar uma equipe de 15 pessoas para ajudá-la. Mesmo assim, ela ainda grava, edita e posta os próprios vídeos.

Foto: Divulgação

PRECONCEITO

De peito aberto, a psicóloga também contou como é lidar com as críticas na internet. Antes mesmo do sucesso, em 2015, ela já era vítima de comentários preconceituosos.

“As pessoas não são acostumadas a verem pessoas com deficiência ocupando os lugares. As pessoas se assustam um pouco e também tem esse receio de: ‘como que ela conseguiu? ‘Algumas pessoas falam que eu consegui por ser deficiente, e não pelo que eu faço”, desabafa ela.

Lorrane também reforça que tudo que conseguiu foi pelo seu mérito e talento, e não por causa da sua condição. “A pessoa com deficiência ela tem potência, não é porque ela é cadeirante que ela conseguiu tal coisa. É pelo talento dela e não pela sua condição física. Então até todo mundo entender isso, demora um pouquinho”, afirma.

Despreocupada com as críticas, ela afirma que a maioria das pessoas curtem o seu conteúdo, e que sempre vão existir pessoas que não gostam muito, mas não tem como agradar todo mundo. “Ninguém é obrigado a gostar”, afirma.

REPRESENTATIVIDADE

Pequena Lo também conta que fica muito feliz de trazer representatividade para outras pessoas com deficiência, principalmente porque ela apareceu em diversos programas, foi capa de revista e deu entrevistas. Ela se vê hoje  ocupando diversos espaços que ela não via outras pessoas com deficiência quando começou em 2015.

“Eu não tive uma referência e hoje eu me tornei uma, então eu fico muito honrada”, afirma. 

A influenciadora relata que recebe mensagens de mães de crianças com deficiência, dizendo que conseguem olhar para os filhos delas e ver que eles também no futuro podem ser quem eles quiserem, alcançar espaços que antes não viam seus filhos ocupando. “Isso para mim é muito gratificante”.

Em seus vídeos, além do humor, ao trazer representatividade as pessoas com deficiência, Pequena Lo pretende passar uma mensagem muito importante: a de que não importa a condição física, todos podem ter potência e talento.

“Isso não impede que ela realize seu sonho, que ela ocupe o lugar que ela tem vontade, que ela deseja. Nós também conseguimos fazer coisas. Algumas pessoas ainda tem a visão de que a pessoa com deficiência é incapaz, é inferior, seja na internet seja no mercado de trabalho”, desabafa ela.

Lutando pela inclusão, não só social como pela acessibilidade nos locais, ela explica que a sociedade ainda tem um longo caminho para percorrer. Lorrane explica que muitos locais não tem rampas ou banheiros para pessoas deficientes, o que dificulta o acesso.

“Não é o deficiente que deve se adequar ao lugar delas, é elas se adequarem ao que a pessoa com deficiência precisa. Cada vez mais a gente luta para ocupar esse lugar pra ter essa inclusão”, afirma.

PRÓXIMOS PASSOS

Após chegar no “topo” na internet, a humorista não quer ficar só nas redes sociais, ela quer ir além: ir para a televisão. Depois da experiência como apresentadora no programa Prazer, Luísa, ao lado da amiga Luísa Sonza, agora ela quer atingir um público ainda maior tendo seu próprio talk show.

“Eu quero seguir esse caminho de ser apresentadora, ter meu próprio programa na televisão, tendo ali o humor, mas falando sobre outros assuntos sérios que tem que ser falados”, finaliza.