exclusivas   / Estreia na quinta

'As Five' imaginam como as personagens reagiriam à pandemia: ''Benê ia fiscalizar as amigas''

Prestes a estrear continuação de 'Viva a Diferença', atrizes falam sobre ficção e realidade; veja

Leandro Fernandes Publicado terça 10 novembro, 2020

Prestes a estrear continuação de 'Viva a Diferença', atrizes falam sobre ficção e realidade; veja
'As Five' imaginam como as personagens reagiriam à pandemia - Reprodução

Prestes a estrear a continuação de Malhação: Viva a Diferença, as cinco protagonistas da trama falaram sobre a vida, o mundo e a série As Five.

Em uma coletiva adaptada aos tempos de pandemia, as atrizes Ana Hikari, Daphne Bozaski, Gabriela Medvedovski, Heslaine Vieira e Manoela Aliperti responderam perguntas de repórteres nesta terça-feira (10) sobre a novela, a série e a relação entre a ficção e a vida real.

Para traçar o paralelo entre o real e a imaginação, pedimos que elas imaginassem uma situação: como as personagens Tina, Benê, Keyla, Ellen e Lica lidariam com a pandemia.

"A Tina estaria fazendo live de DJ de festa, fazendo muitas baladinhas online. E enfrentaria tudo com muita música", apostou Ana, se divertindo com a ideia. Para Daphne, sua personagem, que está no espectro autista, não lidaria muito bem: "Pra Benê, seria bem complicado, por uma questão de que ela ia ficar muito atenta a tudo, às notícias, ao contágio, aos números de mortes. Ela ia entrar num momento que não seria muito fácil pra ela lidar. Ela ia higienizar todas as coisas milhões de vezes, ia beirar um TOC nesse sentido".

Heslaine acha que Ellen se tornaria a famosa produtiva da quarentena: "A Ellen trabalha muito no computador, então pra ela eu acho que não seria muita novidade. Mas eu acho que ela estaria muito engajada na criação de aplicativos, de se unir com a Doris por conta da dificuldade de acesso à tecnologia pra estudar. É um assunto que mexe muito com ela e ela ia usar conhecimento dela".

Todas concordam que Benê seria a grande responsável por "fiscalizar" as amigas: "Benê ia querer saber se elas saíram, por que elas saíram. Ela sairia de casa se fosse pra socorrer uma delas, ia fiscalizar as amigas" e todas também parecem concordar que Lica seria a que fura a quarentena: "Ela de modo geral, ela teria grande dificuldade de seguir as regras impostas, de isolamento, higienização, passaria por uma situação de 'fora da lei'. Ela ia ser a galera do Leblon, ela é bem inconsequente. Ela não teria empatia e sensibilidade pra pensar no outro, ela pensaria em si, na diversão dela", analisa Manoela.

Já Keyla, que foi mãe solteira na adolescência, precisaria da ajuda do pai: 'Eu acho que a Keyla ia pedir uma ajuda pro Roney, 'pai, tô indo praí', e ela ia estar passando por um perrengue com o Tonico em casa, tendo que ajudar nas aulas e fazer essa educação à distancia, e às vezes nem tendo aula, porque o Tonico estuda em escola pública", opina Gabriela.

Elas todas também acham que, se a pandemia acontecesse depois da primeira temporada da série, elas ficariam muito próximas: "Elas iam fazer muita call. Todos os dias".

As Five, uma das séries mais aguardadas do Globoplay, estreia nesta quinta-feira (12) e terá um episódio disponível por semana, além de um programa que reunirá as cinco protagonistas para discutir a série todas as segundas-feiras, chamado Talk Five. A série é uma continuação de Malhação: Viva a Diferença, atual reprise na Globo e se passa seis anos após o fim da novela.

Último acesso: 03 Dec 2020 - 09:03:06 (1130178).