Contigo!
Facebook Contigo!Twitter Contigo!Instagram Contigo!Spotify Contigo!
Exclusivas / CASO MC KEVIN

Anel de R$ 20 mil, cochicho na delegacia e alucinações: o que ainda falta ser respondido no caso MC Kevin

Quase duas semanas após morte trágica do funkeiro, alguns pontos cruciais seguem em aberto; saiba mais!

Aleksander Santos Publicado em 27/05/2021, às 15h42

O que falta ser respondido na morte trágica de MC Kevin? - Arquivo Pessoal
O que falta ser respondido na morte trágica de MC Kevin? - Arquivo Pessoal

O país ficou perplexo com a morte trágica de Kevin Nascimento Bueno, conhecido como MC Kevin, aos 23 anos, no último dia 16 de maio. Depois de investigações conduzidas pela Polícia Civil do Rio de Janeiro, algumas lacunas ficaram em aberto e deixaram a tragédia com respostas a serem respondidas.

Apesar do laudo da perícia afirmar que a morte do cantor foi um acidente, até o momento não existem informações concretas sobre o que teria motivado MC Kevin a pular para o andar de baixo. Também falta descobrir onde foi parar anel de noivado do funkeiro avaliado em R$ 20 mil, e o conteúdo de uma tão falada conversa informal entre Bianca Domingues e Victor Elias Fontenelle, o MC VK, testemunhas do caso.

MOTIVOS PARA A QUEDA

Antes da conclusão do laudo da perícia, o diretor da Polícia Civil do Rio de Janeiro, Antenor Júnior, conversou com o jornalista Reinaldo Gottino, da Record TV, e adiantou que houve um consumo excessivo de álcool e entorpecentes momentos antes do acidente que vitimou o cantor. Como efeito, o jovem poderia ter experienciado alucinações antes de cair do quinto andar.

"A utilização dessas substâncias podem ser relevantes na causa da morte. Os depoimentos relatam que Kevin pulou para o quarto andar com medo de ser flagrado pela esposa. As pessoas que estavam no apartamento foram exaustivamente ouvidas, telefones apreendidos e perícia feita no quarto 502", relatou na ocasião.

Dias depois, o delegado concluiu em entrevista ao Fantástico que MC Kevin esteve sob grande pressão durante o ato de infidelidade com a modelo Bianca Domingues. Em seu depoimento às autoridades, a testemunha garantiu que apenas fez sexo oral no funkeiro. Já o amigo que o acompanhava, Victor Elias Fontenelle, tinha preservativo e manteve relações com a jovem. Além do consumo excessivo de álcool e o uso de drogas ilícitas, o oficial cita: "[Ele estaria] profundamente assustado, preocupado em ser surpreendido durante uma infidelidade conjugal pela sua companheira."

'COCHICHO' ENTRE OS ENVOLVIDOS

Todos os envolvidos no caso tiveram seus telefones apreendidos e foram intimados a depor na 16° DP da Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, sobre os fatos que levaram ao acidente de MC Kevin. Em sua primeira entrevista à imprensa, exibida pela Record TV, Deolane Bezerra, viúva do funkeiro, relatou uma cena bastante revoltante ao encontrar as duas testemunhas ainda na delegacia. 

A advogada afirmou ter agredido a acompanhante de luxo após encontrar ela 'cochichando' com o amigo do marido pelos corredores do departamento. "Eu dei um tapa na cara dela porque  eu vi ela e o VK cochichando. Na verdade eu queria bater no Victor [MC VK], mas como eu vi ela fazendo isso, eu dei um tapa na cara dela e minhas irmãs me tiraram do local", explicou. À polícia, tanto o MC quanto a modelo negam terem feito qualquer comentário sobre acidente no quarto 502.

ANEL DE NOIVADO

Ainda durante o furacão, Deolane Bezerra se deu conta do sumiço do anel de noivado do dedo do cantor. A joia, avaliada em mais de R$ 20 mil, é coberta por diversas pedras preciosas e teria sido um presente do cantor.

Amigos e a viúva notaram o sumiço da peça enquanto encaminharam o corpo do cantor para a funerária. Nesta última semana, a viúva teria até mesmo registrado um Boletim de Ocorrência (B.O.) na polícia do Rio de Janeiro para cobrar investigações mais profundas sobre o caso.

DEPOIMENTOS CONTRADITÓRIOS

Os únicos acompanhantes de MC Kevin durante seu acidente fatal foram Bianca Rodrigues e MC VK. Contudo, ambas testemunhas apresentaram à polícia depoimentos que se divergem sobre os fatos ocorridos quarto 502. A modelo desmentiu em seu testemunho que os amigos de MC Kevin teriam feito qualquer tipo de brincadeira insinuando um flagrante de sua esposa [Deolane]. Entretanto, ela contou às autoridades que MC VK teria comentado com Kevin que haveria uma chance de 'dar problemas com a Deolane'.

Em trecho de sua declaração à polícia, exibida pelo portal UOL, a modelo teria dito: "[Bianca] não se recorda exatamente do que a fez desviar a atenção para dentro do quarto, até porque havia ingerido álcool e fumado maconha, porém se lembra que olhou rápido para dentro e, ao virar seus olhos de volta à varanda, já viu Kevin passando a segunda perna sobre o parapeito da sacada. Perguntada se nesse momento alguém bateu à porta ou falou algo, em especial no sentido de que a mulher de Kevin o estava procurando, a declarante respondeu que não, que isso foi falado poucos minutos antes."

Porém, o funkeiro conta outra história. O também MC diz não ter citado nenhuma conversa sobre um possível flagrante e desmentiu qualquer tipo de brincadeira com o amigo. Para suportar sua justificativa, MC VK garantiu estar no banho enquanto Bianca e MC Kevin seguiam na varanda juntos. "(...) Perguntado se conseguia ver o local exato onde Kevin caiu no solo, respondeu que sim e que, assim que viu a queda, o declarante desceu desesperado. Que não se recorda exatamente da ordem dos acontecimentos, pelo nervosismo, porém foi ver como Kevin estava", revelou o documento.