exclusivas   / DIA DE FESTA

As pioneiras: nos 70 anos da TV no Brasil, dez mulheres que fizeram história

Estas mulheres são pilares para entender a importância das televisão na identidade nacional

Redação Contigo! Publicado sexta 18 setembro, 2020

Estas mulheres são pilares para entender a importância das televisão na identidade nacional
70 anos de televisão no Brasil: Dez mulheres pioneiras que fizeram história - TV Globo/Reprodução

Há exatamente 70 anos, o Brasil vivia um momento histórico: em 18 de setembro de 1950 ia ao ar a primeira transmissão televisiva em território nacional. Nas últimas sete décadas, muitas estrelas ajudaram a construir o legado que alçou a produção televisiva brasileira ao posto de referência, exportada para centenas de países e premiada em todo o mundo. Para comemorar a data, prestamos homenagens para dez grandes mulheres que ajudaram a construir essa história. Confira!

VIDA ALVES - Em 15 de fevereiro de 1952, a atriz quebrou tabus ao ser a primeira atriz a protagonizar um beijo na TV. Ao lado do ator Wálter Forster, eles trocaram carícias no último capítulo da telenovela Sua Vida Me Pertence. A trama, exibida pela TV Tupi, é considerada a responsável  por inaugurar o gênero telenovela. Ela faleceu há três anos

HEBE CAMARGO - Presente nas transmissões para a TV desde os seus primórdios, Hebe Camargo se tornou a primeira apresentadora brasileira a comandar um programa voltado para mulheres. Em 1955, ela estreou no comando do O Mundo é das Mulheres, também dirigido por Walter Forster. Hebe faria a mais célebre trajetória de uma mulher na TV, ocupando postos de destaque em várias emissoras e criando um estilo de fazer televisão ainda hoje icônico

IVANI RIBEIRO - Autora fundamental, atuou em várias fases da TV, do início à popularização. Do seu primeiro trabalho, Corações em Conflito até o megassucesso A Viagem, ela compôs uma gama de personagens femininos marcantes, que iam retratando as mudanças na sociedade brasileira, o crescimento da penetração das mulheres nos postos de poder e as transformações no comportamento. Das gêmeas antagônicas de Mulheres de Areia (1973) à mocinha espevitada de A Gata Comeu (1985), a autora foi responsável pela criação de tipos que são conhecidos de todos nós, mesmo que tingidos com a potência e os exageros da teledramaturgia

LILIAN WITE FIBE - Em 1996, a jornalista se tornou a primeira mulher a apresentar o Jornal Nacional, referência na área. Ela entrou como parte de uma série de transformações no jornalismo da TV Globo que começou com a substituição de locutores por jornalistas que assumiam funções também nos bastidores.

RUTH DE SOUZA - Já uma estrela do teatro e do cinema, ela se tornou a primeira atriz negra a protagonizar uma novela. Em 1969, ela foi a atriz principal da telenovela A Cabana do Pai Tomás, exibida pela TV Globo. Se tornou uma das grandes estrelas das telinhas, participando de dezenas de produções que encantaram o público por mais de seis décadas

CLARICE AMARAL - Pioneira da TV, ela foi a primeira a comandar um programa infantil com plateia, formato que só seria popularizado décadas depois. Além do Grande Gincana Kibon, exibido pela RecordTV entre 1955 e 1969, ela também foi uma das primeiras a comandar um programa feminino, o Clarice Amaral em Desfile, exibido nos anos 70 pela TV Gazeta

GLORIA MARIA - Uma das primeiras jornalistas negras da TV, Gloria Maria iniciou nas coberturas jornalísticas muito jovem, ainda nos anos 70. Teve passagens marcantes pelo RJTV, Jornal Hoje, e Fantástico, que apresentou de 1998 a 2007. Hoje comanda o Globo Repórter, um dos mais importantes programas de grande reportagem da TV

MARÍLIA GABRIELA - Ao som de "Cor de Rosa Choque”, de Rita Lee", a jornalista invadiu a casa das telespectadoras como um furacão. Símbolo de uma mudança de comportamento e costumes na sociedade brasileira, o programa dialogou com a mulher que agora conquistava sua liberdade. Com Marta Suplicy, Zora Yonara e Xênia Bier, fez revolução

OFÉLIA - Ofélia Anunciato, ou Ofélia, esteve por quatro décadas na companhia de milhões de brasileiros. Com passagens por várias emissoras, ela se tornou pioneira dos programas de culinária que hoje existem aos montes. O mais marcante deles, o “Cozinha Maravilhosa de Ofélia”, esteve no ar até 1998, ano em que faleceu

XUXA MENEGHEL - A apresentadora não foi a primeira a comandar um programa infantil, mas foi a que inaugurou um novo status para os artistas de televisão. Alçada ao posto de popstar, vendia milhões de discos, produtos licenciados e estava na capa de todas as revistas possíveis. Construiu um formato de programa que foi copiado e imitado à exaustão. Se tornou uma estrela não somente no Brasil, mas em toda a América Latina. Rainha - e não é à toa: dona de um carisma inédito e de opiniões fortes, ela revolucionou a televisão

Último acesso: 25 Oct 2020 - 09:13:10 (1124463).