Contigo!
Facebook Contigo!Twitter Contigo!Instagram Contigo!
Críticas / CRÍTICA

O Caso Evandro: crime sem resposta expõe a dor de famílias destruídas pelo mau funcionamento das instituições

Resultado de trabalho de investigação revelador, seriado ilustra podcast e faz excelente trabalho de síntese

Gustavo Assumpção Publicado em 08/06/2021, às 16h51

O Caso Evandro: série é uma das melhores produções do Globoplay - Reprodução/TV Globo
O Caso Evandro: série é uma das melhores produções do Globoplay - Reprodução/TV Globo

Quem acompanhou cada um dos episódios do seriado O Caso Evandro no Globoplay teve as expectativas retorcidas a cada semana. Baseado em um longo e exaustivo (mas extremamente completo) podcast idealizado por Ivan Mizanzuk, a produção original da plataforma do Grupo Globo faz um esforço de síntese louvável e consegue propor uma discussão profunda sobre o crime que chocou o Brasil no início dos anos 90 - e também sobre a importância de fortalecermos nossas instituições.

A série investiga as várias questões envolvidas na investigação da morte do menino Evandro Ramos Caetano em Guaratuba, litoral do Paraná, em 1992. Após uma disputa de versões entre a Polícia Civil e a Polícia Militar, sete pessoas foram à júri acusadas de assassinar o menino em um ritual brutal de magia negra.

A cada novo episódio, a produção dirigida por Aly Muritiba e Michelle Chevrand expõe que há algo de muito estranho por trás das investigações: afinal, o crime foi mesmo cometido a mando de Celina e Beatriz Abagge, mãe e filha do então prefeito da cidade, Aldo Abagge? O grupo em torno do pai de santo Osvaldo Marcineiro foi mesmo o responsável pelo sacrífico da criança em um ritual que buscava “abrir os caminhos” da família que tentava aumentar sua influência política na região?

O que parece uma mera investigação sobre a descoberta dos culpados de um crime brutal se transforma em uma reflexão sobre as falhas de nossas instituições: a busca por justiça incentivada pela irresponsabilidade da imprensa policial, os métodos inaceitáveis de investigação ainda presentes nos porões da Polícia Militar e o drama vivido por aqueles que seguem em busca de respostas. Afinal, quem matou Evandro Ramos Caetano? E por quê?

“Tentei ser o mais respeitoso possível. Infelizmente, quando um crime acontece, ele se torna uma história da sociedade. Falar de crime é lidar com a dor dos outros e abrir feridas. Tudo que produzi até hoje serve para entender local, contexto e sistema. ‘O Caso Evandro’ é um grande ensinamento sobre como é o nosso sistema criminal”, diz Ivan Mizanzuk ao avaliar o trabalho realizado na produção.

Misturando um intenso trabalho de arquivo com dramatizações muito bem conduzidas, a série vai além do mero retrato documental. Quando filma as reações de cada um dos envolvidos ao ouvir as fitas inéditas descobertas durante a pesquisa, surge um momento do qual é impossível sair ileso. Quando ouve especialistas que contextualizam a presença da intolerância religiosa e a falta de repúdio à prática da tortura, a série coloca sobre a mesa um país que não esconde seu apreço pelo autoritarismo.

A grande qualidade da série (dividida em sete episódios, mais o extra ‘O Caso Leandro’, sobre outra criança desaparecida que se correlaciona com a história de Evandro) está em conseguir humanizar os envolvidos nessa tragédia que é de cada um dos envolvidos, mas também é partilhada conosco, enquanto cidadãos. Como pode um crime desse porte ter um desfecho a base de tamanha crueldade? Qual é o limite na sanha por justiça? Evitar que essa história se repita é missão civilizatória.  

O CASO EVANDRO 

Série original Globoplay - 7 episódios (+1 episódio extra)

Cotação: Excelente