Contigo!
Facebook Contigo!Twitter Contigo!Instagram Contigo!Spotify Contigo!
Carnaval / CARNAVAL

Carnaval 2022: Mangueira busca inspiração na poesia de Cartola, Jamelão e Delegado

Em busca de mais um título, a Mangueira traz como enredo a obra de trio de baluartes para 2022

Redação Contigo! Publicado em 18/04/2022, às 06h11

Mangueira busca inspiração na poesia de Cartola, Jamelão e Delegado - Reprodução/Instagram
Mangueira busca inspiração na poesia de Cartola, Jamelão e Delegado - Reprodução/Instagram

Segunda escola a desfilar no Carnaval 2022, a Mangueira busca em sua história e na poesia de seus baluartes a possibilidade de conquistar mais um título. Em jejum desde 2016, a agremiação mais popular do Carnaval do Rio de Janeiro busca na emoção e no talento de seu carnavalesco, o consagrado Leandro Vieira, os trunfos para surpreender.

A missão não será fácil: segunda logo no primeiro dia de desfiles, a escola terá que gerar impacto para deixar a avenida com chances de vencer. Para isso, a posta é na alma do mangueirense: muito verde e rosa, fantasias leves e carros com uma estética que pretende pegar na veia dos torcedores.

Em seu oitavo ano na Mangueira e com dois títulos no bolso (2016 e 2019), Leandro Vieira tem trabalhado longe dos holofotes e construído um Carnaval à sua moda: sem grandes tecnologias e com muito respeito às raízes. 

ENREDO É HOMENAGEM À TRINCA DE REIS MANGUEIRENSES

Em 2022, o enredo da Mangueira é Angenor, José e Laurindo, uma homenagem aos baluartes Cartola, Jamelão e Delegado, três ícones da cultura brasileiro. As composições do cantor, os passos do mestre-sala e a voz de trovão do cantor são a base para um desfile que promete ser um afago após os tempos pandêmicos. 

"Engana-se quem pensa que os habitantes do Morro de Mangueira morrem sem ter o que deixar como herança, assim como estão enganados aqueles que pensam que, os que lá nascem, estão desprovidos de bens. Quando fizeram a partilha da herança deixada por ANGENOR, JOSÉ & LAURINDO, saibam todos que nenhum morador daquele morro ficou de fora. Eles herdaram um bem preciso e precioso. Lá, nascem ricos daquilo que o dinheiro não compra, e nós, quando privados da arte que brota a granel nos corpos da favela, ficamos mais pobres", diz um dos trechos da sinopse entregue aos compositores.

É BOM FICAR DE OLHO: No sempre impecável trabalho plástico de Leandro Vieira e no uso dos tons de verde e rosa - algo que deverá ser predominante no desfile. Foco também na Comissão de Frente assinada pelo "casal segredo" Rodrigo e Priscila Negri, um dos mais talentosos da atualidade.

HOMENAGEM? Este será o primeiro Carnaval da Mangueira sem Nelson Sargento, então presidente de honra da agremiação. Difícil imaginar que a escola vai passar pela avenida sem lembrar de um de seus galhos mais importantes.

OUÇA O SAMBA DA MANGUEIRA PARA 2022: