Contigo!
Facebook Contigo!Twitter Contigo!Instagram Contigo!
BBB / OPINIÃO

Ódio apaixonado: Sucesso do BBB20 vem da rejeição da web aos ''vilões''

"Quem você quer eliminar?": Grandes rejeições nortearam o BBB20 até aqui; leia

Leandro Fernandes Publicado em 01/04/2020, às 21h22 - Atualizado em 01/05/2020, às 22h59

Petrix, Hadson e Prior: vilões movimentaram BBB20 - Reprodução/TV Globo
Petrix, Hadson e Prior: vilões movimentaram BBB20 - Reprodução/TV Globo

O BBB20 é a edição do reality mais bem sucedida, não há dúvidas a respeito disso.

O programa já estava movimentando as redes sociais e conversas de escritório antes da quarentena, desde o começo estabelecendo o que, aparentemente, funciona melhor para criar engajamento na web: bons vilões.

E o BBB20 os forneceu em profusão e em sequência. O ginasta Petrix Barbosa inaugurou o posto logo na primeira semana, primeiro ao tramar a eliminação de Pyong e depois por se envolver na trama do "Teste de Fidelidade", focado em queimar a imagem de Mari Gonzalez. Surgiram aí outros vilões: Hadson, Lucas e Prior.

Petrix foi eliminado no primeiro grande paredão do programa, que foi sucedido pela chegada dos brothers da Casa de Vidro e a revelação para todos da veracidade das acusações feitas por Marcela e Gizelly: Hadson, Lucas e Prior passaram a ser os grandes vilões, excluídos pelos colegas e no alvo do público.

Hadson e Lucas foram eliminados rapidamente a partir daí, sem tempo para que uma contra-torcida surgisse. Ao contrário de Paula Sperling no BBB19, os vilões da edição não encontraram chão para se firmar a partir do ponto em que foram apontados pelas redes sociais como os malvados. E conforme eles foram saindo, o programa ainda teve a bondade de revelar novos vilões.

Pyong, que até aquele momento era adorado, tentou beijar Marcela e acariciou Flay. Bianca, uma das mais famosas do elenco de celebridades confinado, acabou dando em cima de Guilherme depois que o modelo já estava envolvido com Gabi. Marcela passou a deixar as amigas de lado para privilegiar Daniel, que foi também ganhando o ódio do público.

O mais recente vilão a sair pela porta foi Felipe Prior, em um paredão histórico que quebrou todos os recordes de votação. Ele ganhou uma verdadeira torcida do lado de fora, com apelido e apoio de esportistas. Não foi o suficiente. O combo de uma torcida por sua eliminação absolutamente apaixonada e a torcida Manu Gavassi (acusada de racismo e, portanto, também uma vilã do BBB20) o derrubaram.

Os paredões do BBB20 até o momento não foram definidos por quem o público queria salvar, mas por quem eles queriam mais apaixonadamente eliminar - tanto que em diversos paredões triplos, a pessoa em terceiro lugar nem passou do 1% dos votos. É a rejeição apaixonada pelos vilões do programa que segurou o público até aqui - e, por sorte, a narrativa do programa teve sorte de encontrar mais e mais vilões para despertar esse ódio.

Engana-se quem pensa que acabou a lista de odiados do BBB20. As malvadas da vez, segundo as redes sociais, são Marcela, Ivy e Gizelly, principalmente por se posicionarem ativamente contra o franco favorito, Babu Santana, último homem restante na casa. Embora parte do público esteja preocupado com a possível permanência das três até a final, é bom lembrar que as três estão em desvantagem numérica e já nascem rachas ao redor que apontam votos na direção das três, principalmente Ivy. Resta saber se a dinâmica de jogo vai favorecer que essas rachas aumentem até se traduzirem em votos.