Astros de ‘Verão 90’ se reúnem para celebrar a próxima novela das 7

Isabelle Drummond, Claudia Raia, Dira Paes, Rafael Vitti, Jesuíta Barbosa, os diretores Jorge Fernando e Marcello Zambelli e as autoras Izabel de Oliveira e Paula Amaral

sexta 30 novembro, 2018
Turma animada com a trama que estreia em janeiro
Turma animada com a trama que estreia em janeiro Foto:Divulgação Globo: João Cotta e Isabella Pinheiro

Uma novela nostálgica (no bom sentido), vibrante e solar! Esse é consenso entre Isabelle Drummond, Claudia Raia, Dira Paes, Rafael Vitti e Jesuíta Barbosa, os protagonistas de Verão 90, a próxima novela das 7, da Globo, que estreia dia 29 de janeiro. Ciceroneados pelo apresentador Zeca Camargo, os atores, o diretor artítico Jorge Fernando; o diretor geral, Marcelo Zambelli, e as autoras, Izabel de Oliveira e Paula Amaral, se reuniram para um papo conceitual sobre a novela, num hotel no Leblon, Rio de Janeiro! “Já provei o que tinha de provar e, agora, o que eu quero é homenagear esses anos 90 com a minha vida, com a minha volta ao trabalho”, celebrou Jorge, que sofreu um AVC (Acidente Vascular Cerebral) em janeiro de 2017, e está cheio de energia para conquistar mais um sucesso no horário.

Igualmente empolgados com seus personagens, os atores fizeram coro com seu maestro. “Nos anos 90 eu morava em Copacabana, ao lado dos Leopardos (grupo de strippers que fazia muito sucesso na época), de toda a loucura da cidade, fazia um enorme sucesso... Era musa do verão. Imagine eu com essa cor? Não botava o pé na praia, mas vestia uma asa delta, dava uma desfilada e ia embora (risos). Então rever isso nas (gravações), dar de cara com um orelhão, com um telefone com fio em casa, bate todo um saudosismo, bacana, leve. Tem uma saudadinha, sabe?”, relata Cláudia, que vive Lidiane, uma ex-atriz de pornochanchada e mãe de Manuzita (Isabelle Drummond).

Ex-estrela mirim, Manuzita cresce e continua batalhando para se manter na crista da onda do sucesso. Mas só bate com a cara da porta. “Manuzita foi uma criança muito carismática, conduz um programa, tem um dom mesmo para se comunicar. Mas, na fase adulta, tenta ser atriz, mas não tem jeito pra coisa. Só que a mãe botou na cabeça dela que é uma estrela e tudo o que ela faz é muito bom, então, ela não tem noção de que nem sempre o que ela está fazendo é muito bom. E elas são parceiras nessa grande ilusão de que elas são boas em tudo na vida. É uma história muito engraçada, é uma personagem solar, que tropeça, mas gargalha, que ri dela mesma”, adianta Isabelle.

A jovem atriz admite o abismo que existe entra ela e Manuzita. “Eu sou a introspecção, Manuzita já é a expressão externa total, então, me descobrindo nisso também. Está sendo um superaprendizado, Cláudia é uma parceira incrível, Rafa Vitti, Jesuíta também,...”, comemora a niteroiense, que afirma não ter conselhos para dar à sua personagem, já que ela conseguiu fazer a transição de menina prodígio para atriz consagrada. “Tem uma diferença monumental. Isabelle é um extraordinária atriz. Manuzita é péssima”, brinca Jorge.

Nesse clima de bom humor, Rafael afirma não ter nenhuma lembrança marcante dos anos 90. “Bem, eu nasci em ‘995, mas meus pais viveram intensamente esse período, conversei muito com eles. Com o Evandro Mesquita também, que foi meu pai em Rock Story. Liguei pra ele e pedi muitas dicas. Eu gostaria de ter vivido essa fase, muito por causa da internet, que é maravilhosa, mas também nos faz perder muita coisa de relação, de interação. Está sendo muito bacana poder experimentar essa época a novela, como o João”, diz ele. Já Jesuíta (que nasceu em 1991) confessou ter uma referência mais forte da década: Xuxa Meneghel. “Em todos os meus aniversários só dava a Xuxa. Eu tinha todos os discos, cantava tudo. O mesmo com o É o Tchan! Eu sabia todas as coreografias”, diverte-se o pernambucano. “O Rafa tava dizendo que não viveu, mas ele é muito os anos 90: está na praia o tempo todo, sempre surfando, tem uma cabeça muito leve, aberta”, elogia Jesuíta, que interpreta o vilão Jerônimo, irmão do mocinho João.

Mãe dos protagonistas masculinos da história, Dira Paes, a Janaína, conta que os anos 90 marcaram sua estreia na TV. “Eu já era atriz de cinema e fiz minha primeira novela em 1990 (Araponga). Cinco anos depois recebi o convite para fazer o remake de Irmãos Coragem, em que interpretava a Potira e era apaixonada pelo Jerônimo (Ilya São Paulo). E o mais bacana nisso é que, em Verão 90, a Janaína batizou os filhos como João e Jerônimo porque é apaixonada por Irmãos Coragem (risos)”, relaciona a paraense.

Mães de Verão 90, Izabel e Paula confirmam que estão fazendo uma grande homenagem a uma fase importante de suas vidas. “Foi a época em que a gente assistia novela, gostávamos muito de novela, curtimos até hoje, claro, mas agora de outra forma”, diz Izabel. “Em 1990 não tinha celular, em 1999 surgiu a internet, então, foi uma década de muita mudança, de muita informação”, completa Paula. “A gente não vai ficar presa a minúcias, detalhes exatos do que tinha naquele ano exatamente, estamos mais em busca da emoção”, avisa Izabel. “Nem adianta alguém dizer: ‘Ah esse garfo não existia em 1990, isso não se fazia em 1991’. Nem vem. Saímo dessa doença do que pode ou do que não pode aparecer. Tudo pode!”, confirma Jorge. “É uma novela que fala muito ao nosso coração, tem homenagens claras a outras novelas, como Vale Tudo, a personagem da Isabelle tem referências na da Claudia em Rainha da Sucata, então, é muito emocionante pra gente ver esse processo acontecer porque foi tudo o que vivemos“, finaliza Izabel, torcendo para que o público embarca com elas nessa viagem. Vamos nessa?

Jorge Luiz Brasil
Leia Mais:

Receba em Casa

Vídeos

NOVELAS

  1. 1 'Malhação', urgente! Vagner é vítima de bala perdida
  2. 2 Direto de ‘O Sétimo Guardião’: Valentina descobre fetiche de Machado
  3. 3 Paulo Gustavo transforma ‘Minha Mãe é uma Peça’ em série
  4. 4 O Sétimo Guardião - Resumo dos capítulos de 10 a 15/12/2018
  5. 5 O Tempo Não Para - Resumo dos capítulos de 10 a 15/12/2018