Paizão, Dan Stulbach reflete: "Quero ser uma referência"

Assim como Eugênio de A Força do Querer, o ator 
diz que é um paizão, daqueles que gosta de ouvir e entender 
os filhos. Parece que, às vezes, 
a ficção não é tão distante 
da realidade...

Por Ligia Andrade

Dan Stulbach | <i>Crédito: Estevam Avellar/TV Globo
Dan Stulbach | Crédito: Estevam Avellar/TV Globo
Dan Stulbach é atraído por cheiros e temperos. Em Belém, Pará, por exemplo, não resiste ao pato no tucupi. “É uma cozinha criativa, fantástica. O açaí é diferente”, revela o ator de 47 anos, que gravou cenas de A Força do Querer (Globo) na região Norte do país. Já em Manaus, o intérprete do empresário Eugênio encontrou-se em um verdadeiro dilema: provar ou não a famosa formiga saúva, iguaria local. “Tem gosto de capim-limão, é suave.” De volta às novelas – sua última foi Fina Estampa (Globo, 2011) –, Stulbach tem ficado mais tempo no Rio, onde está em cartaz com a peça Morte Acidental de um Anarquista. A família continuou em São Paulo. Casado há oito anos, pai de uma menina de 6 e um filho de 4, o ator paulistano diz que se preparou para lidar com a distância e vai continuar sendo presente na vida dos filhos. “Sempre quis ser pai”, afirma. Na trama das 9, seu personagem vai apoiar a filha Ivana (Carol Duarte) em sua transformação para o gênero masculino. “Tem uma verdade no que está sendo feito. O preconceito vem da ignorância.” 


Dan Stulbach conhece o Forte do Castelo do Senhor Santo Cristo do Presépio de Belém durante 
uma folga da novela

DE VOLTA ÀS NOVELAS “Eugênio quer mudar de vida, lutar por seu sonho e acho isso legal. Quando jovem, mudei de vida para ser ator (o pai queria que ele fosse engenheiro), briguei para isso. Gosto de mudanças. Não tenho preconceito algum de fazer novela. Muita gente me disse que não teria tido a coragem que tive de me tornar apresentador.”

PATERNIDADE “Quero ser uma referência, um pai presente. Minha relação com meu pai era distante quando eu era jovem porque ele trabalhava muito. Também trabalho, mas quero ouvi-los, entendê-los, estar aberto para o que eles vão me ensinar. Sempre sonhei com a paternidade, a vida inteira. Era um ‘pai voluntário’ de algumas pessoas, me procuram para isso. É um lugar que gosto.” 

SEM TABUS “Tudo está sendo conduzido com elegância. Gloria (Perez) escolheu contar a história desde o começo. A menina não se entende e esse incômodo vai se transformando... A qualidade do texto, da direção e o talento da Carol conquistam as pessoas. Tem uma verdade e vontade no que está sendo feito. O preconceito vem da ignorância. Quantas pessoas vão poder ver isso de outra maneira e vão se sentir apoiadas, esclarecidas, não sozinhas.” 


O ator contempla 
a paisagem 
na beira do rio Guamá. Quando viaja, o ator adora experimentar 
a culinária local

MERGULHO NO TEMA “Eugênio vai ser mais compreensível com a filha, ao contrário da mãe. Quis fazer as entrevistas para poder ver isso de outra maneira, repensar. Conversei com cinco trans, gravei as conversas. Não quero que esse aprendizado seja só para mim. Ainda não sei o que vou fazer com os vídeos, se vou colocar no Facebook, precisamos divulgar.”

AMADURECIDO “Estou em um momento de maturidade com relação a tudo, com uma certeza maior sobre minhas escolhas. Antes ficava aflito com o tempo livre ou com a espera. Vim para a novela preparado e muito afim. Talvez até por esse tempo longe. É bom ter uma autora que você admire e com quem tenha diálogo, seja acessível. Com quem vou trabalhar é fundamental.”

NA PONTE AÉREA “Minha casa é em São Paulo, a família ficou lá. Estou ficando mais no Rio. Continuar com o teatro foi uma escolha. Um trabalho renova o outro. Sabia que ia ficar puxado, tudo bem. Celular, vídeo e Facetime ajudam.”

TUDO ESQUEMATIZADO “Estou ficando saudável – malhando, correndo, tomando sucos, comendo de três em três horas –e ficando carioca. Não era tão regrado com a alimentação, sempre estive em forma, corria, nadava, mas o Rio puxa ainda mais para a atividade física. Ser regradinho me deixa feliz. O lance é ocupar o tempo com coisas legais. Quero ficar o mais saudável e feliz que puder.”


Ficando mais tempo no Rio, o ator está tendo um estilo de vida mais saudável

CRESCIMENTO PESSOAL “Ligo para algumas coisas com relação à idade, ser dono de mim, no sentido das minhas escolhas. Me cobro ser um cara melhor. A idade veio como um alerta para conseguir dar conta do meu crescimento pessoal.”

SEM MEDO DE DESAFIOS “Quando fui para a Band (na bancada do CQC, em 2015), estava no contrato que deveria ter rede social, e achava tudo a ver porque ia falar com jovens. Gosto de lidar com o que tenho medo ou com o que faço mal. Não tinha paciência, me achava velho, até que perguntei o motivo. Não sou devotado, tenho uma boa relação, gosto da troca.”

FOCADO “Vou continuar no programa Hora do Expediente (CBN). É uma das atividades deste ano. Tem a série na Band, Uma História do Brasil, que apresento. São coisas que se complementam. Melhorei como apresentador fazendo teatro e vice-versa. Não descarto nada, mas estou feliz fazendo a novela.”

04/05/2017 - 17:20

Conecte-se

Revista Contigo!