"Nenhuma pessoa se desentende comigo"

De bem com a vida e a personagem Atena, de A Regra do Jogo, Giovanna Antonelli não dá brecha para confusões, se derrete com a interação entre os três filhos e diz que o segredo para estar magra e linda aos quase 40 é comer saudavelmente

Por Elizabete Antunes/ Fotos Fabrizia Granatieri

Giovanna Antonelli | <i>Crédito: Fabrizia Granatieri
Giovanna Antonelli | Crédito: Fabrizia Granatieri
Com brincos e anéis que chamam atenção de longe, iguais aos que sua personagem Atena usa em A Regra do Jogo – e que já viraram objeto de cobiça do público –, Giovanna Antonelli, 39 anos, também gosta de peças mais delicadas, basta observar uma tornozeleira fininha de ouro. Com um olho grego, a joia é um elo entre ela e as filhas gêmeas, Antônia e Sofia, 5. “É tipo ‘Supergêmeos, ativar!’”, brinca a intérprete, em um papo com a CONTIGO!, referindo-se ao antigo desenho animado de Hanna-Barbera. “Há dois anos, comprei três iguais e elas nunca mais tiraram do pé. Nem eu. É o nosso símbolo de amor.” Casada com o diretor Leonardo Nogueira, 36, pai das meninas, a atriz abre seu melhor sorriso quando o assunto é a família. E ela não se cansa de falar das últimas gracinhas da turma. “Ah, elas estão demais! São supervaidosinhas. Hoje elas ganharam calcinha e sutiã com as personagens da Monster High (desenho infantil). Falaram: ‘Mamãe, estamos de sutiã!’. Respondi: ‘Ai que lindo, filhas!’ Mas são aqueles tops de algodão, sabe (risos)?”, derrete-se Giovanna, que também é mãe de Pietro, 10, da união com Murilo Benício, 44. “O Pietro é muito gente boa, um menino legal, sabe? Os três são muito amorosos. Lá em casa todos os irmãos se dão bem. Vivemos na maior harmonia.”
 
NADA DE BRIGAS
No trabalho, Giovanna conta que o clima também não poderia ser melhor. Ela desmente os boatos que teria se desentendido com Amora Mautner, 40, diretora da novela. “Juro pelos meus filhos que não houve absolutamente nada! Até porque nenhuma pessoa consegue se desentender comigo, eu não dou brecha para isso acontecer. E eu amo a Amora! Temos muita afinidade. Tanto que ela é uma inspiração para mim. Aquela risada da Atena, eu roubei da Amora – com permissão dela. E virou uma marca registrada da personagem. Acho que as pessoas querem falar de quem dá notícia, precisam de fofoca.  Mas dane-se! Eu tenho profunda admiração por ela como mulher, pessoa, diretora. Foi uma fofoca de quinta e ponto”, sentencia.


À BEIRA DOS 40 E MUITO BEM
A quatro meses de completar 40 anos, Giovanna não tem dúvidas do que é melhor para ela. Não mostra rugas de preocupação com a passagem do tempo e não dá bola para crises. “Eu não sou uma pessoa de crise, não tenho crise existencial, não tenho tempo para ter crise (risos). Sou atriz, empresária, tenho marido e três filhos, como vou ter tempo para crise?”, pergunta ela, que, além de dona de restaurante, tem clínicas de estéticas (já somam 11 no país todo) e licenciamento de marcas de esmalte e semijoias, as citadas no início da reportagem, que ela usa na novela. Os acessórios, aliás, são uma febre entre as mulheres e estão sempre na lista do artigos mais desejados pelos noveleiros de plantão na Central de Atendimento ao Telespectador da Globo. “Quando alguém está na 25 de Março ou na Saara (comércios populares de São Paulo e do Rio) e me liga falando que só estão vendendo os ‘acessórios da Giovanna Antonelli na novela’ eu fico muito feliz”, comemora. “Em toda novela que faço, tento me reinventar. Penso em coisas para levar para as minhas personagens e acho que o público já espera isso de mim.”  

TUDO ESTÁ BEM
Para 2016 Giovanna também quer... mais nada! A atriz não acredita nas tradicionais superstições de Réveillon nem gosta de criar expectativas para o Ano-Novo. “Nessa hora, só tenho a agradecer. Agradeço por ter concretizado meus planos e, acima de tudo, por ter saúde, estar viva, por ser uma pessoa feliz e abençoada.” Ela está à frente de um bazar beneficente de Natal que chega à sua quinta edição e será realizado no Rio e em São Paulo. Antigamente, em datas como São Cosme e São Damião, gostava de pegar seu carro e sair distribuindo sacos de doce pelas ruas da cidade. “Agora levo brinquedos em orfanatos, creches. Passei a ficar com medo de ser assaltada dentro do meu carro.” 


*Editado por CONTIGO! Online. Leia a matéria completa na edição 2096 de CONTIGO!.

04/12/2015 - 13:50

Conecte-se

Revista Contigo!
Coleção CARAS