Lea Michele, a Rachel Berry do seriado Glee, se prepara para lançar 2º álbum da carreira

Em entrevista exclusiva à CONTIGO, a cantora americana diz que está trabalhando muito, mas deseja muito vir ao Brasil para vários shows

Por Tainá Goulart / Fotos: Divulgação

Em entrevista exclusiva, Lea Michele falou sobre seu segundo álbum solo da carreira | <i>Crédito: Fotos: Reprodução Instagram
Em entrevista exclusiva, Lea Michele falou sobre seu segundo álbum solo da carreira | Crédito: Fotos: Reprodução Instagram

No dia 28 de abril, Lea Michele lança o seu segundo álbum solo da carreira, chamado Places. A cada segundo ouvido das três primeira músicas que ela já disponibilizou - Love is Alive, Anything is Possible e Run to You - dá para ver que a cantora, que ficou conhecida mundialmente pela personagem Rachel Berry, da série Glee, resolveu voltar para suas raízes vocais. “Eu deixei um pouco as minhas influências pop do primeiro álbum e dei espaço para a interpretação das músicas! Passei a vida inteira escutando Celine Dion, Barbra Streisand e nada mais eu do que me inspirar nelas para compor as músicas. São vozes lindas e quis fazer algo que fosse uma homenagem, algo respeitável no meio musical pra elas. Places é um álbum atemporal e clássico”, disse a cantora, em entrevista exclusiva para a CONTIGO, pelo telefone. Com uma voz doce e muito simpática, Lea falou da amizade que mantém com os colegas da série adolescente, da perda do namorado Cory Monteith, e dos desafios de fazer o novo álbum durante três anos. Confira a entrevista!


Em seu Instagram, Lea tem postado muitas fotos sensuais



Já são 3 anos desde o lançamento do seu primeiro álbum e, agora, você está com um projeto muito mais pessoal. O que te levou para esse caminho ao conceber Places?


Desde 2014, muita coisa aconteceu na minha carreira. O Glee chegou ao fim, entrei para Scream Queens, comecei a gravar o piloto de um outro programa… ou seja, eu só trabalhei. Então, entrar no estúdio era outra das tantas tarefas que eu tinha, por isso que o meu segundo álbum demorou um pouco mais para ser produzido. No entanto, posso dizer que eu me dediquei muito, pois tive tempo para encontrar quem eu sou de verdade. Em cada música, principalmente as mais pessoais, são a cara da Lea Michele!


E pelas três músicas que foram disponibilizadas, dá pra ver que são bem pessoais mesmo! Você deixou seu lado ‘diva’ falar mais alto, não?

Com toda certeza (risos)! Eu deixei um pouco as minhas influências pop do primeiro álbum e dei espaço para a interpretação das músicas! Passei a vida inteira escutando Celine Dion, Barbra Streisand e nada mais eu do que me inspirar nelas para compor as músicas. São vozes lindas e quis fazer algo que fosse uma homenagem, algo respeitável no meio musical pra elas. Places é um álbum atemporal e clássico.


Que canção de Places foi a mais difícil de ser gravada?

Nossa… (ela fica em silêncio por um momento) É complicado escolher apenas uma, afinal, o disco é sobre tudo que aconteceu na minha vida. Mas as músicas que tem letras sobre a minha vida, como Hey You e Love is Alive… foram as mais complicadas, acho que cantei só duas vezes no estúdio e já consegui o resultado emocionante que eu queria.


Lea e Darren Criss, um dos seus melhores amigos do elenco de Glee


Sobre Love is Alive… Poderíamos dizer que, depois de tudo que você passou, principalmente com a morte trágica do seu ex-namorado, o ator Cory Monteith, dá para acreditar que o amor ainda está vivo?

Foram tempos muito difíceis pra mim, devastadores. Sentir falta de alguém que você ama faz parte da vida e isso me deixou muito mais forte. Pensei que sempre tive o apoio e o amor, claro, da minha família, dos meus amigos, dos fãs e isso é a prova que o amor está mais vivo do que nunca! A gente carrega lembranças pra vida toda e elas nos fazem refletir sobre nós mesmos. Love is Alive é sobre essa reflexão.


E com todo esse trabalho, você consegue algum tempo para se apaixonar?

(Risos) Claro! Eu busco um equilíbrio muito grande na minha vida, afinal eu sou uma pessoa como qualquer outra. Tenho meu trabalho, mas também tenho meus desejos como filha, como amiga e como mulher. Tento organizar a agenda para poder sair e me divertir bastante e tenho tido resultados maravilhosos sobre isso! (risos)


Falando em amigos… O que você mais sente falta da época em que fazia Glee?

Nossa, você me fez ir para um tempo tão bom agora… Na real, sinto falta de ir para o trabalho todos os dias e de saber que encontraria todos por lá. A gente se divertia muito e ainda nos encontramos muito. Eu, o Darren, Jenna, a Becca… sempre estamos nos reunindo para conversar e cantar. Quero muito poder gravar algo com todos mais pra frente.


Set list de Places, que será lançado dia 28 de abril


Você disse que está gravando um novo show… pode adiantar algo pra gente?

Infelizmente, ainda não posso falar muito, só que ele está bem bacana. Estou trabalhando bastante e posso afirmar que está ficando maravilhoso. Sou suspeita pra falar, eu sei, mas né… a gente valoriza o nosso esforço! (risos)


E alguma chance de te ver por aqui este ano?

Infelizmente não! Vou chorar aqui do outro lado da linha, pois os fãs brasileiros são incríveis, me dão muito amor e apoio mesmo eu estando tão longe. Desde Glee, vocês mandam muitas mensagens, que me deixam muito feliz. Porém, o volume de trabalho me impossibilita de ter agenda para shows internacionais. Por enquanto, estou com algumas datas nos Estados Unidos, mas só isso. Uma pena! Mas, quando acontecer, prometo ser inesquecível!


12/04/2017 - 20:01

Conecte-se

Revista Contigo!