Com 56 anos de carreira, Susana Vieira dispara: "Minha vitória independe da época. Sou um exemplo"

Estrela da supersérie Os Dias Eram Assim, ela relembra os anos 1970, do início na TV Globo, celebra as conquistas como mulher, mãe e atriz e fala da luta contra o machismo. Sobre namorar, admite que está sempre com alguém e que até criou táticas para não ser "descoberta"

Por Ligia Andrade

Susana Vieira | <i>Crédito: Cadu Pilotto
Susana Vieira | Crédito: Cadu Pilotto
Ao se aproximar da porta de casa, Susana Vieira já escuta os incansáveis latidos. A atriz é recebida com festa por Bob, William, Sthefany e Lara. “Mamãe chegou!”, alegra-se, explicando: “Yorkshire é uma praga, você quer ter dois, três... Já tive cinco. Cada um tem uma personalidade diferente, é o que me encanta.” Morando desde 2003 em uma casa projetada pelo arquiteto Zanine Caldas (1919–2001), a intérprete da vilã Cora na supersérie Os Dias Eram Assim (Globo) adora decorá-la com flores e plantas. O amplo espaço tem estrutura de madeira e vidro, com pé direito de 7 metros de altura. “Quando vi, pensei: ‘Aqui vou ser feliz’. Amo e aproveito cada centímetro. Quando a roseira dá flor, não tem alegria maior”, emociona-se Susana, que adora lavar louças – é uma terapia, melhor do que ioga, garante. “Não consigo pensar em nada além daquele momento.” Também não deixa de fazer pipoca quando bate vontade em frente à TV. À CONTIGO!, a atriz paulistana de 74 anos, uma das grandes estrelas da dramaturgia brasileira, com 56 anos de carreira, mostra toda a sua simplicidade e autenticidade. Leia mais a seguir.


Susana sempre gostou de cachorros de porte grande,  mas se rendeu à raça yorkshire

HÁBITOS “Não tenho saco para ler nada no celular. Às vezes, estão falando de mim e não estou nem sabendo. É melhor assim. Só uso Instagram. Não tenho hábito de ganhar para fazer nada, não sou loja, reconheço o trabalho das pessoas. Não existe marca na minha vida, minha marca é Susana Vieira.”

CORAÇÃO PREENCHIDO “Estou sempre namorando, mas não há necessidade de mostrar (atualmente, ela está com o empresário Carlos Henrique Filho). Não tenho uma relação para casar, ter filhos. Sou uma mulher livre e independente. Pode ter certeza que vou sempre ter uma pessoa, sim. Não dispenso ainda essa parte de amor, sexo. Descobrem, mas já sei uma maneira maravilhosa de ninguém saber: não sair de casa, viajar, encontrar com a pessoa em outro lugar. Sempre tem alguém interessado em mim ainda.”

SORTUDA “Deus me deu tanta bênção que a minha pele não enrugou, não preciso fazer plástica – minha boca continua igual –, meu corpo se manteve saudável, tenho energia. Adoro funk, música eletrônica, ir ao Caribe, à Disney, tudo isso cria uma expectativa nas pessoas para saber o que me move, como tenho este astral. O natural seria todo mundo ser assim.”

ETERNA ROMÂNTICA “O homem tem de ser romântico, amoroso, carinhoso... E ter bom humor. Não é palhaçada, é entender a minha linguagem. Tem de deixar bilhete, não pode achar que a gente dispensa um tchau, bom dia, boa noite – e nem vem com selinho na hora de ir embora! Quando sente que isso é um hábito, acaba o tesão na mulher. Sentimos quando o amor do homem acaba.”


A atriz mora desde 2003 em uma ampla casa na zona oeste do Rio de Janeiro

INDEPENDÊNCIA! “Não há essa divisão de homem e mulher. Há 30, 40, 50 anos, nenhuma de nós acharia normal o machismo. Fui uma das primeiras a cair fora do casamento – a pessoa não vai mandar em mim. Saí de uma casa muito severa, com meu pai. A minha vitória independe da época, sou um exemplo de quem já brigou com isso. Cada um agora que lute pelo seu. Conquistei a minha liberdade, o respeito. O desrespeito que tive foi porque deixei. A única bandeira que levanto hoje é Sérgio Moro, até acontecer alguma coisa boa no Brasil.”

PARA QUEM TEM FÉ “A natureza é poderosa. Ganhei Buda, Nossa Senhora Aparecida (um pingente) que uso... Acredito no poder da pessoa que te dá aquilo, com amor. Tenho elefantes, adoraria ter a calma deles. Também tenho um Ganesha. Acredito nas religiões e em Deus acima de tudo. Rezo todos os dias de manhã.”

AH, OS ANOS 1970 “Lembro de tudo. Foi o meu começo na TV Globo, tinha acabado de me separar. Fui feliz, não tinha do que reclamar. Nosso nicho cultural era rico, criativo. Fui a muitas festas na casa de Tom Jobim, conheci Juscelino Kubitschek... Só ia embora da praia depois de bater palma para o sol. Eu e Arlete Salles sempre fomos de sair à noite. Levamos uma vida intensa, aproveitamos a solteirice. Meu filho (Rodrigo, 51) foi ser DJ de tanto que eu o levava a discotecas. Sempre fomos amigos e companheiros.”


“Yorkshire é uma praga, você quer ter dois, três... Já tive cinco"

BEM-VINDA, CORA “Ainda estou tateando. Sempre tenho uns dois meses até me apoderar da personagem. É difícil, parece um quebra-cabeça. Depois que engreno, até esqueço que sou eu, adoro. Agora tenho como meu filho o Daniel de Oliveira, um ator fantástico, de primeira linha.”

NADA DE APOSTAS “Tenho horror de apostar e perder. Acabamos perdendo coisas na vida, chances, pessoas, mas não me sinto bem em perder algo fruto do meu trabalho. Não estou criticando, acho cassino interessante, só não entendo a compulsão. Corrida de cavalo deve ser fascinante. Se chego em segundo lugar, pego a fita métrica para fazer o tira-teima!”

CENAS QUENTES “O horário permite. Gravei algumas e espero ter mais. Desde que estreei, o homem fica mais tímido na hora de tirar a roupa, entendo. Se a atriz faz cena sexy, pode ter certeza que é a segurança que o diretor passa. Mulher tem vergonha de mostrar estria, barriga...”


“Não sinto falta de ninguém, de festa, sou felicíssima”, diz Susana

VITALIDADE “Faço pilates, musculação, alongamento, balé, esteira. Não tenho a menor preguiça. A minha endorfina vem de outros lugares. O que mantém assim? Sei lá, alegria de viver. Agradeço quando acordo, durmo, conheço um namorado novo, quando a pessoa vai embora (risos). Claro que fico irritada, nervosa, sou boa dona de casa também, exigente. Não sinto falta de ninguém, de festa, sou felicíssima. Durante o dia, gosto de piscina, dos cachorros. De noite, casa é silêncio, aconchego, hora de calma, de se refazer.”

INTOLERÂNCIA AO AÇÚCAR “É uma bênção, na verdade. Meu combustível não vem dele, mas do carboidrato. Sobrevivi ao glúten. Como pouco, sou carnívora, adoro besteira. Como empada, salsichão... Não tenho culpa. Cassia Kis está tentando me fazer parar de comer carne, me manda vários vídeos.” 

SENHORA DO DESTINO “Foi o melhor ano da minha vida profissional (2004), abri mão de tudo, mas não sentia falta de nada. Só fazia novela e corria na esteira – a comida da mesa da Maria do Carmo era de verdade! Tenho muito orgulho.”

BIOGRAFIA “Já estou na metade, fechamos o contrato, mas sou dispersa. Minha vida se mistura com a carreira. Quero escrever crônicas também.”

DOMÍNIO DE PALCO “Nunca pensei que fosse tão difícil fazer um monólogo (Uma Shirley Qualquer) e é Miguel Falabella na veia. Todo ator de teatro tem uma insegurança de que a plateia não vai lotar. Percebi que não podia ficar só no texto, tinha de ser Susana Vieira, e tenho domínio de palco. Vou para Bangu (zona oeste do Rio de Janeiro) e meus amigos, família e fã-clube vão poder me ver. Quero fazer a peça para eles.”


Susana adora decorar a casa com plantas

21/05/2017 - 14:20

Conecte-se

Revista Contigo!