"O Junno sempre me deu o melhor dele"

Colunista de CONTIGO!, Xuxa Meneghel reflete sobre o Dia dos Namorados e a importância de compartilhar os pequenos detalhes em um relacionamento

Por Xuxa Meneghel

Xuxa e Junno estão juntos há mais de quatro anos e a apresentadora confessa os mimos do namorado | <i>Crédito: Cadu Pilotto
Xuxa e Junno estão juntos há mais de quatro anos e a apresentadora confessa os mimos do namorado | Crédito: Cadu Pilotto
Muitas datas comemorativas se tornaram motivo para se ganhar dinheiro. Tudo é comércio! Vendem-se cartões, presentes, doces... Mas, mesmo assim, não perdemos a vontade de festejar o Dia das Mães, dos Filhos, dos Pais, dos Avós, das Crianças e, claro, o Dia dos Namorados. Não sei quem teve a ideia de criar esta data, porém, ela ajudou muito a alavancar as vendas de diversos mimos. Eu, particularmente, não gosto de nada dado por obrigação. Não gosto de presentear, pura e simplesmente, por imposição ou porque todos estão dando alguma coisa. Mas confesso: em especial, quando criança, sonhava em ter um Dia dos Namorados! Achava que passar esta data sem ninguém era um soco no estômago. Um misto de dor de cotovelo com ciúme e desejo, era como sentir saudade de algo que não tinha. 

Hoje, aos 54 anos, tenho o prazer – prazer mesmo – em dizer que tenho meu crush, peguete, ficante, namorado, amorzinho... meu homem! Enfim, tudo em uma única pessoa. Assim, o dia 12 de junho ficou mais completo, rico de sons, sabores e palavras, principalmente porque o meu Ju é um poeta. Ele sempre me deu o melhor dele. E este melhor vem em forma de música, poesia e muitos mimos. Sempre valorizei o que não posso comprar e sempre sonhei com alguém que me desejasse do jeito que sou. E, olha, não sou fácil, a minha vida não é fácil. No entanto, com o tempo, acredito, fiquei mais ‘facinha’. Ou seja, se me der o que eu quero ou preciso naquele momento, ganha tudo de mim. Falou o que eu queria ou precisava em determinada hora, tem tudo comigo.
Acho que, quando jovenzinha, eu não valorizava muito isso. Afinal, costumamos pensar que ser jovem é ter tudo. Mas eu não tinha e, se tive, não percebi. Hoje, posso dizer com todas as letras: Amo olhar dentro dos olhos dele, sentir o cheiro da sua respiração, receber seus carinhos, saber que ele está por perto, que pensa em mim... E, claro, amo fazer amor com ele. Porém, isso é um detalhe, pois já amei fazer amor com outros também. No entanto, a relação não possuía isso tudo que tenho com o Ju. E é justamente isso que, quando inexperientes, não vemos ou sentimos. Ouvimos muito que um relacionamento, para dar certo ou existir, precisa de um bom sexo. E passamos a buscar isso. Sim, concordo, sexo bom faz toda a diferença. Porém, só com este item o romance será apenas mais um na sua lista de relacionamentos.

Enfim, para ter um Dia dos Namorados inesquecível, você só precisa dele ou dela. Quem diria, eu precisei viver meio século para descobrir que, quando a gente passa a vida toda buscando alguém, não encontra essa pessoa. Mas, quando a vida te oferece a resposta em forma de gente, aceite como um presente e não duvide, apenas seja feliz. Essa felicidade pode durar muito ou pouco, não importa, apenas seja feliz. E feliz Dias dos Namorados!

PS: Ju, te amo! No consciente e no inconsciente, você é meu namorado!

14/06/2017 - 16:55

Conecte-se

Revista Contigo!