Suzy Rêgo e Luciano Camargo secam com a dieta que virou febre entre famosos

Celebridades já perderam até 37 kg com método low carb

Redação Contigo!

Famosos mudam estilo de vida e emagrecem até 37 kg | <i>Crédito: Instagram
Famosos mudam estilo de vida e emagrecem até 37 kg | Crédito: Instagram

É longa a lista de dietas que existem por aí, mas uma em especial está chamando a atenção de várias celebridades. Luciano Camargo adotou o método e perdeu 37 kg. Suzy Rêgo já eliminou 8 kg em apenas 28 dias . A lista ainda inclui o lutador Anderson Silva, a humorista Nany People, entre outros...

Criada por uma empresa espanhola em 2004, o método Pronokal consiste na ingestão de sachês que viram (pasmem!) omeletes, muffies, crepes, sopas, shakes... Na verdade, trata-se de uma dieta proteinada, com uma diferença básica em relação às dietas hiperproteicas (por exemplo, a Dukan): a quantidade de proteína ingerida é extremamente controlada. Com isso, o paciente perde peso muito rápido, de 7kg a 10kg por mês, sem sobrecarregar o fígado e rins.

Luciano Camargo antes e depois! (Instagram)

Nas redes sociais, Luciano não cansa de compartilhar sua rotina, sempre super regrada. “De férias do trabalho, das preocupações do dia a dia, mas da minha dieta não. Onde eu vou, minha marmitinha vai comigo”, escreveu. Realmente o compromisso é primordial para a dieta dar certo! Além das regrinhas básicas como comer de 3 em 3 horas e tomar mais de 2 litros de água por dia, é preciso respeitar regras rigorosas: açúcar, carboidrato, produtos industrializados (mesmo light ou diet) e determinados tipos de vegetais estão extremamente proibidos! Pelo menos até você chegar na 2ª e 3ª fase! 

Os exercícios físicos também contam e, muito, com os resultados. Luciano pegou pesado na academia, já Suzy optou por um treino diário menor. Não importa o nível , a ordem é movimentar-se!  “Além da dieta, faço um treino em 12 minutos, em todos os lugares, hotel, camarim, sala de casa...”, explicou em seu Instagram.

Anderson Silva e sua refeição saudável (Instagram)

Entenda a dieta

Na fase inicial você precisa consumir de 4 a 5 sachês por dia + suplementação vitamínica + saladas e temperos (todos desidratados). Geralmente essa etapa dura cerca de 21 dias, mas tudo vai depender do seu desempenho e da decisão da sua endocrinologista (vale lembrar que não é possível fazer essa dieta sem acompanhamento médico, sozinha em casa, já que tudo precisa ter receita médica). 

Aqui, é possível perder 80% do sobrepeso. E isso acontece porque o corpo é induzido a um estado de cetose controlada, ou seja, quando o organismo precisa recorrer às reservas de gordura para obter energia no lugar dos carboidratos. Assim gasta-se a massa gorda e preservar-se a massa magra. 

“Quando ingerimos menos que 50g de carboidratos por dia nosso corpo usa essa reserva (que geralmente dura 48 hs) e, quando a reserva acaba, passa a usar a gordura como fonte de energia. Essa queima rápida forma os corpos cetônicos, que agem ajudando na saciedade e priorizam a queima de gordura. Por esse motivo o paciente consegue comer 600 cal sem sentir fome!”, afirma a endocrinologista Adriana Moretti, especialista pela Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia.

Na segunda etapa perde-se o peso restante (20%), ao mesmo tempo em que são incorporados, progressivamente, à dieta, grelhados (peixes, carnes vermelhas, crustáceos). Mas os sachês continuam firmes e fortes! Já na fase final, todos os tipos de alimentos podem ser ingeridos, mas com moderação. 

“A reintrodução dos carboidratos é feita de forma gradativa, para que o organismo possa se adaptar à ingestão deles. E nessa fase o paciente terá uma noção de quantidades que ele realmente poderá consumir no seu dia a dia. Concomitantemente, há um aumento da atividade física aeróbica, conforme esses carboidratos são acrescentados, pra garantir um equilíbrio. E por fim existe a fase de manutenção, onde o paciente será monitorado por até dois anos. Esse período é importante para se criar o que chamamos de memória metabólica do peso magro!", explica Adriana.

É bom lembrar que dietas hipocalóricas não são indicadas para crianças e adolescentes menores de 16 anos, idosos e pacientes com doenças renais, hepáticas e cardiovasculares. 

18/05/2017 - 11:05

Conecte-se

Revista Contigo!